Coluna de César Ifarraguire

De Trivela
16 de Dezembro de 2016 às 07:59

Plantou, colheu!
Este ano que se finda, o Internacional colheu os frutos do seu plantio. No preparo de sua lavoura, a direção optou em não adubar a terra com nutrientes ricos em organização, planejamento e seriedade. Inexplicavelmente, preferiu aplicar a arrogância, o desleixo e a incompetência. O resultado da colheita foi trágico, cruel e com prejuízos imensuráveis. O grande Internacional de Porto Alegre, o clube multi campeão vai disputar a temível série B do futebol brasileiro. Plantou, colheu!

Incongruência
Na estreia do Internacional no campeonato na partida contra a Chapecoense no Beira Rio, alertei na coluna que o colorado teria muitas dificuldades para se manter na elite do futebol brasileiro. Depois disso, vieram algumas vitórias, apesar do desempenho não ser satisfatório. Não demorou muito e os resultados negativos apareceram.  A crise chegou e com ela os absurdos dos dirigentes. Num ato de desespero ou político, Vitório Pífero convocou o homem mais vitorioso da história do clube. Fernando Carvalho chega, demite o técnico Falcão, contrata a mala do Roth e aí começa o início do caos. A incongruência estava armada. Os experientes e vitoriosos dirigentes se perderam totalmente. Nada dava certo (com Roth no comando técnico é difícil), tudo transpirou contra. A harmonia entre time e torcida foi substituída por fortes cobranças e manifestações. A melancolia invadiu o vestiário colorado e o final não poderia ser feliz. O clube do povo caiu de forma justa.

Futuro
Falar de Antonio Carlos Zago neste momento é temerário. Terá uma missão muito espinhosa pela frente. Montar um time competitivo será sua principal incumbência. A reformulação, segundo o presidente eleito, Marcelo Medeiros é prioridade. Jogadores sem sangue e desanimados devem procurar outros clubes em 2017. Laterais ou alas como queiram é a maior carência do elenco. O ataque, que foi um dos mais fracos do campeonato, certamente será todo novo. Jovens jogadores que começaram a despontar e afundaram no decorrer da competição devem ser reavaliados. Em fim, o novo comandante vai ter muito trabalho em 2017.

Ano mágico
Que ano espetacular foi para o tricolor gaucho. Campeão da Copa do Brasil e como sobremesa ver seu principal rival amargurar a segundona. Um ano mágico para os tricolores.

Abraço
Hoje mando um abraço especial ao amigo colorado Juscelino Rotta que na data de hoje comemora mais um ano de existência. Meus Parabéns amigo e não esquenta, em 2018 voltamos!

Pensamento
“Quando não se tem aquilo que se gosta é necessário gostar-se daquilo que se tem”. (Eça de Queiroz)

*Um ótimo e abençoado final de semana!

César Ifarraguire , empresário e desportista escreve nas edições de sábado sobre esportes e atualidade.

Email: cesarifa1@gmail.com

Mais artigos de César Ifarraguire