Coluna de Marcelo Blume

Quem paga pelo seu trabalho?
28 de Março de 2017 às 09:30

A pergunta é para ser provocativa e até incomodar um pouco enquanto cada leitor encontra a melhor resposta para o seu caso. Muitas vezes esta pergunta serve para uma boa reflexão nas nossas empresas e instituições.

Sabe-se que muitos se esmeram em atender da melhor maneira os pedidos de seu superior e nem sempre tem o mesmo cuidado com os clientes. Todavia, quem paga a todos numa organização estatal é o cidadão, através dos impostos e em todas as demais organizações, é o cliente. Por estes motivos pode-se clarear o fato de que a maioria das vezes é aquele quem está sendo atendido que paga pelo nosso trabalho e tudo o que há nele.

A reflexão também é boa se pensarmos que numa organização atendemos o cliente, ou a quem atende o cliente, que no caso seria o seu colega. Quem garante a alimentação da nossa família, estudos dos nossos filhos, nossos passeios, nosso lazer, nossos tratamentos de saúde, nossas compras são aqueles a quem atendemos. O mesmo vale para as funções públicas, onde a renda vem dos tributos e taxas pagos muitas vezes diretamente por aqueles que o servidor atende.

O entendimento de que é o cliente que garante nossa sobrevivência e as nossas conquistas parece muito óbvio quando ouvimos ou lemos algo assim. Todavia, ao analisarmos como agem alguns, poucos ainda bem, fica evidente que ignoram completamente o motivo que os faz ou que os impede de gerar mais e melhores negócios. No caso de uma instituição pública que não atende bem, o cidadão passa a ser um refém daquela situação. No entanto, nos demais casos, o cliente tem o poder de reduzir a renda e até o emprego de quem não o trata bem, simplesmente deixando de comprar, ou frequentar o estabelecimento.

Recebi dias atrás uma mensagem com uma frase do ex-presidente dos EUA, Barack Obama, quando diz “Livre-se dos bajuladores. Mantenha perto de você pessoas que te avisem quando você erra.” É uma dica bastante direta e prática para todos, independente da posição de gestor ou colaborador. Ter colegas, lideres ou liderados que aplaudem e elogiam é confortável e muito agradável. Contudo, quando há alguém por perto que não avisa quando temos opiniões e posições equivocadas nem quando há erros de fato, é preciso se perguntar qual o motivo que os mantém na equipe, para o que eles servem.

Algumas empresas têm feito esforços frequentes para lembrar as equipes que são os clientes e usuários que lhes mantém no emprego, que geram renda para eles e receita para a organização. A consciência de que melhores resultados aparecem quando são gerados melhores resultados para quem está sendo atendido precisa ser disseminada nas equipes.

Independente da posição na equipe e a atividade da organização, lembrar a todos que os resultados vêm dos clientes, pode auxiliar em muito o entendimento do que é uma boa organização e efetivamente, obter melhores resultados.

Aproveito o espaço para desejar sucesso e ótimos negócios aos amigos leitores! Um abraço e até a semana que vem!

Marcelo Blume é Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção. Professor da UNIJUÍ e convidado em diversas IES. Sócio e consultor da Referenda Consultoria. Palestrante, pesquisador e escritor, com artigos e livros publicados.

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Mais artigos de Marcelo Blume