Coluna de Marcelo Blume

Onde foi que eu errei?
31 de Julho de 2018 às 09:00

Quantas vezes nos fazemos esta pergunta? E quantas vezes ouvimos esta frase de pessoas próximas? Esta questão é o primeiro passo importante para corrigir a rota. A partir do momento em que entendemos que algo está errado e começamos a refletir sobre quais as variáveis precisam ser alteradas, as chances de corrigir os rumos para as novas oportunidades aumentam muito.

Naquela lista de desejos que ainda não se concretizaram e das ações que não deram certo, eleja as prioridades, esqueça o que os outros deveriam ter feito, e pergunte-se o que você deveria ter feito para obter resultados mais favoráveis. No que você deveria parar de acreditar e no que você deveria acreditar mais para ver os problemas de outros ângulos?

Construímos muitas crenças a partir de momentos marcantes em nossas vidas e sabemos que nossas crenças limitam nosso comportamento. Muitos destes momentos tendem a não se repetir e por isso, parte destas crenças não valem mais e precisam ser esquecidas, para não atrapalharem nosso rumo.  Nunca esqueça de que para ter resultados melhores, é fundamental rever parte daquilo em que se acredita.

Ao buscar resolver problemas, sejam eles simples ou complexos, precisamos encontrar o equilíbrio na simplicidade, na regularidade e na disciplina, 3 palavras corriqueiras que podem determinar o resultado de nossa busca pela solução dos problemas.

É com aquilo que conseguimos saber, fazer e agir, que vamos resolver os problemas. Só saber mais não resolve! É preciso saber fazer e ter atitude para colocar em prática aquilo que sabemos. É melhor começar com o que é mais simples, proporcionar regularidade, ter disciplina para manter o rumo, para só então começar a complexificar.

Claro que estamos partindo de um pressuposto que se sabe o que se quer. Quem ainda não chegou lá, precisa dar um passo atrás e definir bem o rumo que deseja para sua vida. Definir bem os rumos da sua vida evitam desperdícios dos 4 recursos mais importantes da nossa vida que são tempo, energia, capital e relacionamentos. Á medida em que conseguimos determinar o rumo, podemos canalizar estes 4 recursos para potencializar o alcance dos resultados.

Nosso modo de pensar e agir determinam quase tudo o que tivemos e o que temos ao longo das fases da vida. Deste modo, para mudar o que não gostamos em nossa vida, é preciso antes mudar o modelo mental, ou seja, o ângulo pelo qual analisamos a situação e tomamos decisões sejam elas pequenas ou grandes. Por vezes acreditamos que nos falta capacidade e por isso nos desencorajamos de enfrentar grandes desafios. Na verdade, quanto mais atitudes para enfrentar desafios, mais oportunidades se abrem e nos tornamos mais preparados para os próximos desafios.

Todos temos os recursos básicos como tempo, energia, capital e relacionamentos. O que é mais determinante para o alcance de nossos objetivos é onde mais investimos estes recursos básicos. Para quem está pensando por onde começar, reforço a importância do trinômio simplicidade, regularidade e disciplina.

Em frente!

Um abraço e até a próxima!

Marcelo Blume é Administrador, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção. Professor da UNIJUÍ e convidado em diversas IES. Sócio e consultor da Referenda Consultoria. Palestrante, pesquisador e escritor, com artigos e livros publicados.

Email: marcelo.blume@referenda.com.br

Mais artigos de Marcelo Blume