Coluna de Oscar Pinto Jung

Cinema Apolo
27 de Outubro de 2015 às 10:00

 No livro recém lançado, “Meus Causos”, Darwim Gomes Filho recorda o Cinema Apolo, as tardes domingueiras com seriados envolvendo matança de índios, sob intensos aplausos da molecada, batidas de pés   ou as comédias do Gordo e o Magro. O Apolo ficava situado na Rua Antunes Ribas, entre as Ruas 7 de Setembro e 25 de Julho, espaço hoje ocupado por uma loja de brinquedos. O Darwim e mais o Antônio Rousselet são, provavelmente, os dois únicos remanescentes moradores na cidade que frequentaram o Apolo. Outra lembrança do autor dos causos é o serviço de alto-falantes A Voz Alegre, espalhados em locais estratégicos do centro da cidade. A Voz Alegre era de propriedade de Basílio Antunes e serviu de iniciação do Oliveira Júnior (José Alcebíades de Oliveira), como locutor, aos 14 anos.

Senhora idosa conta uma história que pode inspirar muitos casais sem filhos, impossibilitados de gerar prole. Passados muitos anos do casamento e nada de engravidar, a senhora procurou o conselho do Orlando Beck, benzedor e curandeiro no Bairro Haller, muito acatado em sua última passagem terrena. Depois de alguns instantes de silêncio, Orlando falou para ela:

- Enquanto você não adotar uma criança e tratá-la como filha, você não será mãe.

- Então, o conselho do Orlando foi aceito?

- Sim, adotamos um menino. Três meses depois eu engravidei. Hoje, o menino está com 34 anos e a menina com 33.
 
São inúmeros, aliás, os casos semelhantes ao relatado por essa senhora. Com certeza, o leitor conhece muitos casais que passaram pela solidária experiência. Só que, em anos passados, o processo de adoção era bem mais simples do que o de hoje. Mesmo assim...

Jorge Luiz Serafim mora na cidade de Rio Grande e depõe sobre a médium Sônia, de Porto Alegre. O Jorge é espírita e manda e-mail em que avaliza o desempenho mediúnico da sensitiva, contestada por alguns. Diz o Jorge:

- Eu me considero um pesquisador rigoroso no assunto, levando em conta a recomendação de Kardec, o qual dizia que “era preferível descartar nove comunicações verdadeiras do que aceitar uma falsa”. Tendo isso em mente gostaria de dizer que senti autenticidade na comunicação da Sra.Sônia, fiquei impressionado com a quantidade de espíritos que vieram se comunicar comigo, começando pelos meus queridos pais e até amigos. Foi uma ótima experiência, que me trouxe paz e felicidade.

A FRASE DO CHICO XAVIER, curtida por Dilson Maciel Pinheiro Machado: “A caridade é um exercício espiritual. Quem pratica o bem, coloca em movimento as forças da alma”.   
 

Advogado, integrante da Academia Santo-angelense de Letras. Escreve nas edições de terça-feira. 

Email: pintojung@terra.com.br

Mais artigos de Oscar Pinto Jung