Coluna de Oscar Pinto Jung

Zé Pelintra
08 de Dezembro de 2015 às 08:00

Muita gente supõe que os desencarnados são seres dominados pela tristeza. Claro, há os tristes lá como cá. Mas, de modo geral, quem pesquisar saberá que há espíritos alegres, sempre bem humorados e que adoram uma boa música. São os conscientizados da continuação da vida, os que perceberam que a morte não existe e que se adaptaram logo à Vida Espiritual. São felizes, evidentemente. Entre tantos assim, em que o rótulo religioso não conta nada, está o espírito conhecido como Zé Pelintra, muito citado nas redes sociais, pelas histórias que encaminha a quem interessar possa.

Contam que José dos Anjos, o Zé Pelintra, nasceu no sertão pernambucano e deixou o mundo físico aos 41 anos, em Recife. Ele foi encontrado morto sem nenhum vestígio de ferimento. Trata-se de espírito que costuma incorporar nas sessões de umbanda e de candomblé. Um amigo residente na Capital das Missões me conta que teve diálogo com o Espírito Zé Pelintra por quase sessenta minutos, em 1991,  e que se trata de entidade de grande evolução e muita sabedoria. Eis algumas amostras da sabedoria do Zé:

- A língua é o chicote da Alma! Por isso, meu caro, muito cuidado com o que fala, de quem fala, e para quem fala.

- Não se cubra de razão. Cubra-se de amor e encontrará a razão de tudo.

- Sua viagem rumo ao sucesso fluirá de forma mais tranquila se você utilizar como meio de transporte a atitude correta.

- Tem muita gente colocando preço na fé. Deus não quer seu dinheiro. Deus quer a sua fé. Nenhuma força é maior que a vontade de Deus. Fortaleça-se em Jesus Cristo e tenha fé.

Mas o amigo santo-angelense do Zé Pelintra me manda e-mail, que transcrevo a seguir:

- Hoje, “por coincidência”, visitei a viúva de um amigo. E falamos sobre algumas histórias que vivi juntamente com ele em nossa atividade de funcionários públicos. De repente veio à lembrança o meu encontro em março de 1991 com o Espírito Zé Pelintra. Ele falou sobre o meu futuro e sobre o futuro do amigo que voltou à outra dimensão. Depois o Zé contou que Fernando Collor de Melo, que ocupava a Presidência da República, iria ser afastado do cargo. Discordei da previsão, destacando que o Collor era um jovem idealista e bem intencionado. O Zé Pelintra riu muito e acrescentou que eu estava completamente equivocado. No ano seguinte, o Collor, como todo mundo sabe, foi apeado do Poder. Posso dizer que 99% das previsões do Zé deram certo. Bem, sobre as antecipações do meu futuro, não posso comentar nada, por enquanto.
           
A FRASE DE CARLOS TORRES PASTORINO, curtida por Francisca Regina Hortêncio: “O homem é o que pensa. Se você insistir em pensar no mal, na dor, na doença, você os atrairá para si. Pense na saúde, na alegria, na prosperidade, e sua vida tomará novo rumo. Afirme sempre que é feliz, que as dores passam, que a saúde se consolida cada vez mais, e a felicidade baterá à sua porta. Seja otimista e permaneça o mais possível ligado ao Pai Celestial”.
 

Advogado, integrante da Academia Santo-angelense de Letras. Escreve nas edições de terça-feira. 

Email: pintojung@terra.com.br

Mais artigos de Oscar Pinto Jung