Coluna de Oscar Pinto Jung

'Eu sentia até o perfume dela'
31 de Janeiro de 2017 às 08:00

Há desencarnados que se manifestam através do sonho poucos dias depois do retorno à Vida Espiritual. Outros não conseguem nem muitos meses depois. E nem todos os familiares desfrutam da sintonia necessária para o reencontro enquanto dorme o corpo físico. Algo que o meu pouco conhecimento não sabe explicar, satisfatoriamente. Colega advogada teve sonho muito nítido com avó desencarnada há pouco mais de um mês e ficou em dúvida se deve contar o sonho para os familiares. Claro que deve contar, embora nem todos acreditem no que ela vai contar. Fantasia, dirão alguns. Mas houve encontro mesmo entre avó e neta. É o que concluí ao ler a narrativa da colega:

- Quero lhe contar o sonho que tive com minha avó desencarnada no dia seis de janeiro deste ano, em Santo Ângelo. No sonho, eu ouvia a voz dela, forte e clara. A minha avó se apresentou com uma boa aparência e parecia tudo em volta muito iluminado. Eu via a avó perfeitamente e eu comentava com os meus familiares o que eu estava vendo. Ela também insistia para que eles a visualizassem, porém eles nada viam. Cheguei à conclusão que realmente só eu tinha visto a minha avó. Eu parecia que sentia o perfume dela. Tão vivo tudo. Ela queria me dizer algo.

Mudando de assunto, há poucos dias o British Medical Journal publicou conclusão de cientistas ingleses, que aponta a depressão e a ansiedade como fatores significativos para o aumento do risco de morte por câncer. Bem a propósito, a recomendação do doutor Jorge Jaber, professor de psiquiatria da PUC-Rio e pós-graduado em dependência química pela Harvard Medical School. Ele recomenda:

- Contra a depressão, menos medicamentos, mais espiritualidade e exercícios físicos.

É o que pensava o médium Chico Xavier, intuído por Espíritos Superiores:

- A depressão é curada pelo trabalho do Amor

Ou, ainda, como diziam sábios da Antiguidade:


- Para ser feliz no estágio terreno, tanto quanto possível, a receita é bem simples e ao alcance de qualquer um: BASTA SER ÚTIL AOS SEMELHANTES.

Sem abandonar o tratamento médico convencional, o depressivo precisa, paralelamente, buscar os amplos caminhos da Espiritualidade, praticar exercícios físicos, bem orientados por profissionais da área e entrar de corpo e alma no serviço voluntário em instituições filantrópicas. Ao se sentir útil aos semelhantes, o depressivo encontrará a felicidade possível nesta experiência reencarnatória. Não dará tempo para a melancolia. E pouco a pouco o processo depressivo irá se exaurindo para nunca mais voltar. É o conselho do dr.Jorge, do Chico Xavier e dos sábios da Antiguidade. Todos bem conhecedores da matéria.

A FRASE DO MÉDIUM Divaldo Pereira Franco, curtida por Ivone dos Santos Andrade: “Não basta saber. É indispensável ser. Coloque na prática cotidiana aquilo que realmente dignifica e eleva”.
 

Advogado, integrante da Academia Santo-angelense de Letras. Escreve nas edições de terça-feira. 

Email: pintojung@terra.com.br

Mais artigos de Oscar Pinto Jung