Coluna de Oscar Pinto Jung

Jornal de ontem
15 de Agosto de 2017 às 08:00

Tenho edição do jornal O Missioneiro (órgão independente para o Município de Santo Ângelo e a Zona Missioneira), de sete de janeiro de 1938. A vida transcorria na maior tranquilidade por aqui. Nenhuma notícia de arrombamento, assalto ou furto de qualquer objeto. Os policiais da época raramente enfrentavam bandidos. O jornal gerenciado por Ricardo Becker Júnior limitava-se a dar notícias amenas, como a eleição da nova diretoria do Clube Gaúcho, tendo na presidência o Exator Estadual Benjamin Prates Osório.

O redator Maurício Filchtiner também comentava que o baile de passagem de ano no Clube Alemão (o atual 28 de Maio) esteve muito animado e as danças se prolongaram até a madrugada. Amadeu Zenni publicava anúncio do rádio alemão Sabba, do qual era o representante em Santo Ângelo. “Dos bons o melhor”. Na primeira página, anúncios do sabonete Eucalol (mais que um sabonete, um produto de beleza) e das pastilhas Wild, contra dores de cabeça, dentes, reumatismo e etc., com a garantia de que as pastilhas não atacam o coração nem os outros órgãos.

O médico José Thomas Zeilmann, clínico geral e cirurgia, dava o endereço do consultório dele: próximo a Farmácia Sessegolo. Ainda na área da saúde, chama a atenção o anúncio da parteira Joanna Miranda, que atendia no Hospital Dr.W.Gatz: atende a qualquer hora, preços módicos e grátis aos pobres. Que legal, dona Joanna! Luiz Ravanello e Universina Carrera Machado prestavam contas do resultado da receita e despesa da festa do padroeiro, com o visto do Padre Carlos Lange (hoje nome de escola na cidade) e de Florimundo Fernandes dos Santos.

O Oficial do Registro Civil José Cezimbra Machado (que depois foi Intendente ou Prefeito) publicava editais referentes a diversos contratos de casamento. Homero Lobato, primeiro suplente de juiz municipal, mandava publicar petição assinada pelo advogado João Braga de Abreu, em que certo cidadão pedia anulação de testamento. O Escrivão Waldomiro Ferraz (pai do Cícero) datilografou o edital. Enfim, tempos idos e vividos na Capital das Missões de época distante, onde só existiam paz e amor. Totalmente diferente dos turbulentos panoramas que hoje vivemos.

A PALAVRA DO CHICO XAVIER: “Sobre a Terra, tudo é ilusão, tudo passa, tudo se transforma de um instante para outro. O que conta é o que guardamos dentro de nós”.

Advogado, integrante da Academia Santo-angelense de Letras. Escreve nas edições de terça-feira. 

Email: pintojung@terra.com.br

Mais artigos de Oscar Pinto Jung