Coluna de Pedro Belmonte

Personagens
03 de Março de 2015 às 11:26

Postada por Ivo João Schneider, circulou pela rede foto dos anos 1960, na granja do empresário Alfredo Arno Andres, em São Borja, no seu aniversário. Aparecem seu filho, Roque Auri Andres, Nei Debacco (Neisão), Arnaldo Braatz, José Osmar Camargo de Souza (Fumanchu), Delcio Luca, Luiz Carlos Aguirre Leite (Milk), Ernani (Jacu) e o Ivo.
Naqueles anos pacatos, eram figuras ‘carimbadas’ nas festas, nos clubes e nas residências em que as reuniões dançantes se realizavam para comemorar aniversário ou quando houvesse vontade, com a compreensão dodono da casa. Bons tempos da ‘Cuba Libre’, do ‘Rum com guaraná’, uísque à moda cowboy ou ‘on the rock’.

Personagens II
Amavam e viviam a juventude em sua plenitude. Talvez porque a maioria fosse viver pouco, curtiram o que de bom esta viagem oferece aos que nela embarcam.
Se foram Neisão, Arnaldo, Fumanchu, Delcio e Milk. Alguns bem cedo, como Arnaldo e Neisão; Fumanchu mais tarde e por último Delcio e Milk.Deixaram estórias nessa passagem terrena.
Querendo, podem agregar algomais à digressão, o Roque, morando em São Borja eo Ivo (que trabalhou na extinta Souza Cruz), residente na Capital.

Amarelo
Luiz Carlos Benitez, (Amarelo), é nome da Passarela do Samba, de Santo Ângelo. Justa homenagem a um ser humano de coração nobre, comunitário, amante do Carnaval. Vereadores Jaques Barbosa e Vinícius Makevitz, são os autores do projeto.
Crise leiteira
Empresas que não pagam, desorganização da cadeia do leite, imagem prejudicada por contadas fraudes, foram algumas das causas apontadas para a crise no noroeste gaúcho, pelo deputado Eduardo Loureiro, diante de 1,5 mil produtores, semana passada, em Guarani das Missões.
Ele defendeu a necessidade de medidas que reorganizem o setor leiteiro. Prometeu estar atento na AL e trabalho para modificar o quadro adverso. Mais de 20 mil famílias encontram-se em dificuldades financeiras.

Atraso
Ameaça de que os servidores estaduais poderão ter salários atrasados é equivocada. Resolver problemas financeiros do Estado penalizando ao funcionalismo deve ser a última tentativa. Atrasar salários gera antipatia dos atingidos e da opinião pública. Conforme setores da base aliada, o indicado seria atrasar obras não prioritárias, até que as medidas anunciadas sejam praticadas, livrando da precariedade financeira.

Atraso II
Postergar o pagamento dará munição à oposição, causando um desgaste enorme, senão desnecessário.
Aguarda-se o roteiro de 15 dias a diversas regiões do Estado. Nesses contatos, imagina-se, o governo levantará opiniões sobre como enfrentar a dura situação dos cofres públicos. Após as visitas, informa-se, Sartori pretende encaminhar a AL os projetos para atacar os problemas muitos deles herdados da administração passada, como a dívida com hospitais filantrópicos e as santas casas.

Atraso III
Na verdade o governo necessita se apressar diante do visível descontentamento da base aliada. Esses partidos não querem aumento de impostos e pedem o fim do imposto de fronteira. Há um consenso da necessidade de parcerias público-privadas. Existe, também, tendência contrária aos cortes na saúde, segurança e educação. É uma equação que Sartori terá de resolver.

Caminhoneiros
Reflexo da alta do óleo diesel, acarretou transtorno nas rodovias gaúchas e outros estados.
Caminhoneiros em protesto tornaram lento o tráfego. Transportadores reclamam do baixo preço do frete, dos pedágios e tributos sobre o transporte de cargas.
Protestos podem levar ao desabastecimento.

Empreiteiras
Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, tenta evitar a delação premiada ao proprietário da UTC, Ricardo Pessoa.
Tido como o chefão do cartel que sangrou a Petrobras suas revelações à justiça seriam nitroglicerina pura. Entre elas, que a propina começou em 2003, no governo Lula da Silva, regida por Delubio Soares.
Também financioucampanha de Jackson Wagner ao governo da Bahia (que o atual ministro da Defesa nega) e ajudou José Dirceu a custear despesas pessoais.Finalmente, lubrificou a campanha de 2014 com 30 milhões de reais, surrupiados da Petrobras.

Empreiteiras II
Essas‘informações’ de Pessoanão andam. É preciso que esta caixa de Pandora seja aberta, contrapondo-se às insinuações do ministro Cardozo, que a oposição quer um terceiro turno.
Enquanto isto a operação Lava Jato revela que foi pago à Diretoria de Serviços, administrada pelo PT, R$ 640 milhões, em contratos fraudados na Área de Abastecimento da estatal. São cinco ações cíveis por improbidade administrativa, ajuizadas contra 6 empreiteiras.

Empreiteiras III
Especula-se que empreiteiras envolvidas na fraude bilionária teriam recorrido ao ex-presidente, cobrando interferência, intermediadas por Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula.
Entrementes, luta surda travada nos gabinetes, que pode ter seu desfecho na impunidade dos culpados, tem causado calafrios.
Há cinco anos teses semelhantesmanejadas por hábeis advogados, foram usadas para livrarpolíticos e empreiteiros. As investigações policiais foram anuladas em função das filigranas jurídicas.
Ontem como hoje, há muitos políticose empreiteiros poderosos envolvidos.

Decisão
Escrevo na quarta-feira, 25, e ao que se informa, caberá ao conterrâneo e ministro do TCU, João Augusto Nardes, decidir a representação do Ministério Público denunciando acordos de leniência que a CGU quer firmar com empreiteiras envolvidas no Petrolão.
Esse acordo pretende esvaziar a operação Lava Jato. Trata-se de um toma lá da cá. Empresas pagam multa e continuam trabalhando para o governo. Para tanto seus diretores não devem aceitar a proposta de delação premiada.
Ex-presidente do TCU, ilibado, a decisão é tão pesada como outras em que Nardes se viu envolvido nestes anos de Tribunal, saindo-se bem.

Previdência
Ministro da Previdência anuncia que atual sistema é ruim por não retardar as aposentadorias. Conforme Carlos Gavas, governo vai discutir com as centrais sindicais. Tendência é modificar fórmula criada em 1999.
Nada é tão ruim que não possa piorar!
 

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte