Coluna de Pedro Belmonte

Condenado
22 de Julho de 2017 às 08:30

Para o renomado jurista Miguel Reale Junior, a  sentença do juiz Sergio Moro, condenando ao ex-presidente Lula da Silva a 9 anos e meio de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro é ‘Decisão minudente, irrefutável, logica, precisa, sem nenhum cunho politico, moro não deixou pedra sobre pedra’.   Enquanto isto petistas de todos os calibres tentam desqualificar a condenação, argumentando falta de prova e que o julgamento é politico. Para ficar igual a choradeira pós-julgamento do impeachment de Dilma, só faltou o ‘golpe’. Lembrando, esta é a primeira condenação. Existem mais quatro ações na lava-jato.

Condenado II
Enquanto isto,  procuradores da lava-jato, liderados pelo procurador da República, Deltan Dallagnol, querem aumentar a pena para o ex-presidente, prometendo recorrer da sentença do juiz Moro. Já a senadora e ré na lava-jato, Gleisi Hoffmann diz que pressionará o TRF-4, baseado em Porto Alegre. Discussões a parte,  os desembargadores  federais, João Pedro Gebran, Leandro Paulsen e Victor Laus, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, preparam-se para entrar em cena. Lula da Silva é réu em duas ações penais na Justiça Federal do Paraná. Uma delas a que o condenou a prisão.
No sábado (15) advogados do ex-presidente protocolaram recurso contra a sentença do juiz Sergio Moro, citando ‘omissões e contradições’ na decisão do juiz.

Condenado III
Estima-se que o ex-presidente deverá enfrentar mais dureza com os juízes de 2ª. Instancia. A considerar  a jogada jurídica de Sergio Moro que pode levar Lula da Silva a prisão antes da condenação em 2ª. Instancia. Ele escreveu: “A prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação, antes de se extrair as consequências próprias da condenação. ’ Lula da silva tem ‘usado e abusado’ da conotação politica dada ao julgamento. Se Moro tivesse determinado prisão preventiva,  um remédio jurídico poderia revoga-la. Dai seu argumento de que será mais prudente  aguardar a condenação do ex-presidente,  em 2ª instância. No caso de o MP recorrer, é possível que o TRF-4 determine a prisão de Lula da Silva, evitando eventual uso politico do processo, pelos dirigentes e militantes petistas.

Moro 
Ao final da leitura da sentença, um repórter da BBC de Londres foi tentar ouvir o juiz federal Sergio Moro. Totalmente esgotado, havia permanecido por mais de meia-hora recompondo forças. Repórter britânico não quis atrapalhar sua meditação, debruçado sobre uma Bíblia, em cima da mesa de trabalho, na sala de audiências.  Antes Moro havia dito que mesmo sendo um ex-presidente, Lula da Silva não estaria  acima da lei e que foi julgado como qualquer outro cidadão brasileiro.  Disse aos repórteres não ter nenhuma satisfação de fazer a condenação do ex-presidente, mas que achava vergonhoso para alguém no cargo tão alto, estar envolvido em esquema de corrupção e lavagem de dinheiro.

Julgamento

Conforme o presidente do TRF-4, Lula da Silva será julgado antes das eleições de 2018. Desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, disse ‘com quase absoluta certeza’, que o ex-presidente deve ser julgado antes disso. Decisão sairá antes de agosto, mês em que são abertas inscrições para a disputa eleitoral. Juiz lembra que não haverá privilégios no processo envolvendo o petista e será  julgado pelos prazos normais do TRF-4.

Parcelamento
Deputado Eduardo Loureiro aliviado com aprovação  dias atrás da portaria que amplia parcelamento de dividas com regimes de previdência dos municípios. Parlamentar, que também preside a Comissão de Assuntos Municipais da AL, destacou importância da portaria do ministério da Fazenda. Ela faculta o parcelamento em até 200 vezes das dividas das prefeituras com os regimes próprios de Previdência. Para Eduardo “Os municípios estão asfixiados, muitos iriam quebrar se essa medida não fosse atendida.” No mês de junho o tema foi debatido na AL, com gestores municipais, iniciativa do deputado, contando com a presença do presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Pavimentação
Nos primeiros seis meses da administração municipal, em torno de 6 quilômetros de asfalto foram realizados em Santo Ângelo, pelo programa Pro-Transporte. Trabalhos coordenados pela secretaria de Obras e Serviços Urbanos se fixaram em  vias estratégicas objetivando desafogar setores de grande trafego e em áreas utilizadas pelo transporte coletivo urbano. Segundo o prefeito Jacques Barbosa trata-se do maior programa de mobilidade urbana na história do município. Barbosa trabalhou no programa – atualmente em execução –,  em 2012, ao tempo em que foi titular da Secretaria de Obras.

Juliana
Desde 2014 resido em Terra de Areia, litoral norte do RS. Cidade de gente boa, acolhedora, generosa e trabalhadora, tem no cultivo de frutas, especialmente o abacaxi, o forte da sua economia, além de um comercio diversificado, produtos e serviços. O seu potencial turístico é uma realidade a ser explorada, com suas paisagens naturais e o detalhe de estar próxima das grandes praias do Estado. Hoje o munícipio tem outro grande motivo para potencializar sua vocação turística, com a eleição na sexta-feira (14) da sua representante, Juliana Muller,  Miss Rio Grande do Sul 2017. Com 25 anos, a morena participa no dia 19 de agosto do titulo de Miss Brasil, em Ilhabela, litoral norte de São Paulo.

Turismo missioneiro
Governador José Ivo Sartori empenhado em fortalecer o turismo das Missões. Para tanto deve viabilizar a Rota Jesuítica Internacional em que se inclui o patrimônio cultural histórico das Missões gaúchas. Acordo de interesse em alinhavo envolve o Brasil, representado pelo RS, Paraguai, Uruguai, Argentina e Bolívia.

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte