Coluna de Pedro Belmonte

Integralistas
12 de Agosto de 2017 às 08:50

Continuo folheando as paginas do livro de Alzira Vargas do Amaral Peixoto, filha do ex-presidente, ‘Getúlio Vargas, meu pai’: “Num dia qualquer deveríamos voar de uma cidade a outra, em viagem oficial, papai, mamãe, eu outas pessoas da família e alguns membros do governo. Cito este fato sem nomes nem detalhes para não deixar a menor pista quanto à identidade do suspeito ou suspeitos.  Na noite anterior a partida, recebemos um aviso secreto, misterioso e urgente. O piloto que nos deveria conduzir era integralista e tinha sido incumbido  de uma tenebrosa missão: fazer o avião estourar em meio à viagem matando todos os passageiros.  Papai, sem pestanejar, respondeu com indiferença: “Deixem de fantasias. Se o avião estourar o piloto também morre e não me parece que ele tenha tanto desprendimento pela vida”.

Nevada
Na internet inúmeras fotos da nevada de 1965.  Muitos querendo saber a data certa, outros se nevou o dia inteiro e as causas imediatas à população. A maioria, no entanto, comentando a beleza  da neve e o dia inusitado. Voltei àquela sexta-feira,  20 de agosto. Estava na estrada, ainda sem asfalto, rumo a Santa Rosa, no jipe dirigido pelo  calejado Alberto  Amaral. Eu era chefe do escritório da empreiteira paulista que remodelava o trecho ferroviário Cruz Alta a Santa Rosa, baseado em Santo Ângelo. Antes da Estação Comandai, começaram a cair grossos pingos. Não eram de chuva. Fomos adiante,  tração nas rodas para enfrentar o barro, que começava a branquear. Em Giruá havia se transformado em gelo.

Nevada II
Não tirei fotografias, nem  vi o fenômeno em Santo Ângelo. Somente imensidões de campos e estradas de chão cobertas de branco, no trajeto de ida e volta. Fenômeno não possibilitou apenas diversão às crianças  e poses para fotografias, fazendo a alegria dos comerciantes do setor. De Santa Rosa, desafiando a precariedade da telefonia pré-DDD, liguei a José Alcebíades de  Oliveira, gerente da ZYF-6, onde eu era colaborador.  Contei as peripécias da viagem;  Oliveira  os problemas  causados  às populações periféricas da cidade. Já estava no ar, campanha para  coleta de roupas  e agasalhos. Itaquarinchim  subia com o degelo. Ao retornar, havia  apenas resquícios da nevada nas cumeeiras das casas e dos edifícios do centro. Fui ao Café Central combater o frio com uísque a moda caubói, contar e ouvir as novidades. Mais tarde a salinha do  clube 28. Afinal, eu sobrevivera  à neve e o fim-de-semana apenas iniciava.

Prefeitura nos bairros
Prefeito Jacques Barbosa, acompanhado do deputado Eduardo Loureiro, esteve acompanhando as atividades desenvolvidas pela prefeitura nos bairros da cidade. Projeto foi introduzido na administração municipal, ao tempo do prefeito Eduardo Loureiro, sendo agora revitalizado. Objetivo é o de melhorar a infraestrutura dos bairros visitados, além de aproximar comunidade da administração pública.

Emendas
Votação na Câmara Federal que decidiu o destino de Michel Temer  tem verdades, mentiras e exageros. Por exemplo, não apenas os deputados do governo receberam recursos. Conforme a ONG Contas Abertas dos 513 deputados federais somente 48 não tiveram emendas empenhadas pelo Governo, em 2017.  Esmagadora maioria de representantes dos mais diversos partidos se beneficiou. Exagerado o que disseram alguns parlamentares que Temer pegou o Brasil com 14 milhões de desempregados.  Antes do impeachment de Dilma eram 11 milhões sem emprego, segundo o IBGE.  Também falacioso o que disseram os tucanos sobre o partido ter maior comprometimento com as reformas do que o PMDB. Na votação realizada em outubro  de 2016, referente à PEC do Teto, o PSDB tinha 46 deputados e o PMDB 64, na Câmara. Números a parte, ambos os partidos votaram a favor da emenda.

Irrepreensível
Repercutindo entrevista do desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª. Região, ao Estadão. Nela o desembargador gaúcho repete e aprofunda o que havia dito logo após a condenação de Lula da Silva pelo juiz Sergio Moro,  a 9 anos e seis meses de prisão, por corrupção passiva a e lavagem de dinheiro. Conforme Thompson Flores, “é tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável dos autos e vai entrar para a história do Brasil.

Perspectivas
“O inimigo do meu inimigo é meu amigo”, diz o axioma. E ele parece se encaixar no atual momento vivido por  Michel Temer, que salvo novas turbulências de percurso, somente deixará  o governo em 31 de janeiro de 2018. Haa quem o ame e os que o ondeiam. O amor é  em menor escala, vide resultado das pesquisas que lhe dão apenas 5% de aprovação. Já o meio econômico está com ele e não abre.  Analistas da área asseguram que o país estaria mergulhado no caos econômico, com falências e aumento do índice de desemprego, caso Dilma Rousseff não tivesse sofrido o impeachment. Segundo esses mesmos analistas, a atual  ‘questão emergencial’, assegura a estabilidade politica e, consequentemente,  econômica do país.

Perspectivas II

Na opinião deles, a mídia dominada por simpatizantes de esquerda, vai continuar na campanha contra Temer. Quanto ao presidente, há levantamento na praça informando o custo dos 263 votos recebidos: R$ 13,4 bilhões. Pelo sim, pelo não, caso ele não volte a se enrolar, tudo ficará para o novo inquilino do Planalto. As candidaturas, no momento nas ruas, como Lula da Silva e Jair Bolsonaro, são consideradas ‘ruins’ para a economia de mercado. Além deles, devem colocar seus nomes a apreciação do eleitor, João Doria, Ciro Gomes, Geraldo Alckmin, Marina Silva e Álvaro Dias. Preocupação dos analistas econômicos de lado, espero que as eleições de 2018 favoreçam a novos cenários sociais, econômicos e políticos.

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte