Coluna de Pedro Belmonte

Laços
26 de Agosto de 2017 às 10:06

Finalizando publicação dos trechos escolhidos do livro ‘Getúlio Vargas, meu pai’, de Alzira Vargas do Amaral Peixoto:
“Encerrado o expediente da manhã, papai ia fazer a barba e tomar seu banho. Para se vestir, entregava-se ao gosto artístico do fiel Adão, que lhe servia de valete. Era ele que decidia qual o terno e qual a gravata deveriam ser usados naquele dia. Levei anos tentando ensinar a Adão a teoria das combinações e contrastes de cores, já que papai nem sequer olhava para as roupas escolhidas. Eu me considerava um tanto responsável pela entrada de Adão ao serviço pessoal de papai e, por isto, me preocupava em aprimorar seus conhecimentos a respeito de uma sóbria elegância masculina. O velho preto era funcionário do Palácio há muitos anos e, de seu trabalho como continuo, tinha a missão de manter limpos e passados os uniformes dos ajudantes-de-ordens. Um dia entrando no quarto de vestir de papai, fiz uma descoberta: ele não sabia dar  o laço no sapato. Não ignorava que quem lhe dava o laço na gravata, quer quando envergava o smoking, quer quando vestia a casaca era mamãe e agora verificava, com espanto, que ele era incapaz de armar qualquer tipo de laço”.

A foto
Quando sou instado sobre minha longa atividade em rádio e jornal, respondo que cada uma teve suas peculiaridades, facilidades e dificuldades. Algumas dependeram de certa dose de sorte.  Recordo cobertura que fiz para  Zero Hora, em 1975.  Sequestro seguido de morte  de fazendeiro e sua mãe, no interior das missões. Caso intrincado. Após três meses, ouvindo testemunhas, policiais, a mulher do mandante (sobre  o assassinato da mãe e do irmão), identifiquei os executores e o mentor. Meses antes, quando os corpos, entrando em decomposição, foram encontrados, casualmente estava em São Luiz Gonzaga, na inauguração da Boate Belvê, do Osmar ‘Durox’ Boldrini de Oliveira. Remeti as primeiras informações. O editor mandou que permanecesse na região, acompanhando  o caso.

A foto II
Cobiça e inveja, motivaram a morte dos dois. Mentor dos sequestros e mortes foi o  genro e cunhado das vitimas.  Mulher não era o alvo, mas o filho. Para  que não fosse sozinho a um alegado  depoimento a Polícia (os bandidos usavam fardas da Brigada), acabou morta. Os copos foram  abandonados num matagal. Depois de meses, consegui chegar junto com a polícia, aos motivos, ao mentor  e quadrilheiros.  Fiz acordo com a polícia.  Não publicaria nada  para não atrapalhar as investigações (mandante estava foragido), desde que ao ser preso, tivesse exclusividade. Concluídas  as investigações,  envolvidos presos, remeti a ZH textos e fotos, antes dos demais jornais.

A foto III
Conseguira mergulhar nas entranhas da trama a partir de uma foto. Quando entrevistei a filha e irmã das vitimas ela  mostrara um álbum faltando uma foto. Quis saber e me  informou ser do seu casamento. Nela  estariam a mãe, ela, o esposo e o irmão. Durante a cobertura soube que uma foto fora dada  aos meliantes para identificação  do alvo.  Também apurei que uma foto havia sido encontrada, no porta-luvas do Opala, dado pelo mandante como parte do pagamento aos criminosos. Era a que faltava no álbum, conclui. Dentre tantas, pela repercussão e pelos  três meses diuturnos de trabalho, a coloco como das mais instigantes que realizei.

Encontro
Associação dos santo-angelenses em Porto Alegre, presidida por Marisa Meneghetti, intensificando  preparativos  para mais um Encontro. Evento  será dia  27  de outubro, no Clube Geraldo Santana, em Porto Alegre.  Em elaboração, programa e  atrações.

Suilo
Fotógrafo competente, dos pioneiros da arte na cidade, Suilo Emilio Kist, hoje como eu fora de Santo Ângelo, aniversariou. Enviei-lhe abraço virtual. Respondeu agradecendo, lembrando  apelido que lhe dera: Doc Kist Holliday, misturando seu sobrenome ao de personagem dum  clássico faroeste. Kirk Douglas encarnava Doc Holliday, misto de dentista e pistoleiro. Éramos fãs das sessões de domingo no Cisne.

Siglas
PMDB se chamará, novamente, MDB? Ex-governador Pedro Simon trata o partido de MDB. Advogado santo-angelense, Otavio Alberto Campos, adverte: “Peemedebistas protagonistas e autênticos de sua historia, aceitariam o retorno do MDB. Mas sem os políticos perigosos e fisiologistas que roubaram os brasileiros”. DEM também anuncia mudança da sigla para ARENA. 

Périplo
Lula da Silva continua périplo nordestino de 20 dias. Parece  tentar fazer o povo esquecer sentença de 9 anos e  meio, que ameaça  eventual candidatura. Não sendo candidato uma das alternativas seria Jacques Wagner. Como Sergio Moro negou pedido de suspensão do depoimento, dia  13 de setembro voltara a ser interrogado, noutra ação na Lava-jato. Acusação é de ter recebido propina de 12 milhões de reais da Odebrecht, na compra de terreno em São Paulo, para sede do seu Instituto e de apartamento no prédio em que reside, em São Bernardo do Campo.

#Hashtag
#Magistrado mato-grossense, Mirko Gianotte, recebeu em julho meio milhão de reais de salários e complementos  por trabalhar em instâncias superiores, ganhando como juiz de 1ª. Instância.  #Presidente do STF, ministra Carmem Lucia, ordenou ao CNJ  que monitore os super-salarios para  freá-los. #Em meio à crise, presidente do TSE, Gilmar Mendes, preparou proposta implantando o parlamentarismo, encaminhando-a aos presidentes da Câmara e do Senado. #Mulher  que prometeu doar R$ 500 mil a Lula da Silva, tem divida em execução judicial e somente poderá fazê-lo depois de pagar 62 mil reais a uma loja de decoração. Também deve condomínio do apartamento em bairro nobre de São Paulo, desde 2104.  Mesmo assim, prometeu dobrar a doação.

 

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte