Coluna de Pedro Belmonte

Devastação
09 de Setembro de 2017 às 08:48

Foi um começo de semana devastador. Na segunda-feira (4) o Procurador-geral, Rodrigo Janot anunciou que o acordo de delação com a JBS poderia ser rompido e que os benefícios dos delatores seriam perdidos em parte ou no todo. Entretanto,  as provas seriam mantidas. Suspeita-se  que o ex-procurador Marcelo Miller tenha orientado a JBS no acordo quando ainda na instituição. Na terça-feira (5), continuando a festa de sua despedida, Janot denunciou por organização criminosa, Lula da Silva, Dilma Rousseff, Antônio Palocci, Guido Manega, Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo e Edinho Silva. Na denúncia cita que durante o período na presidência, Lula e Dilma cometeram uma serie de delitos, especialmente contra a administração pública. No mesmo dia PF  encontrou R$ 51 milhões em caixas e sacolas, entre dólares e reais. Fortuna foi atribuída a Geddel Vieira Lima. Não se trata de herança, mas propina pura.

1980
Em 1980, participei da transmissão da chegada e missa Campal rezada pelo Papa João Paulo II,  pela Sepé.  Indubitavelmente, uma arrojada empreitada, com  seus bônus e ônus.  Apoiados   tecnicamente pelo Francisco ‘Chico’ Nunes, gerente da antiga CRT, em Santo Ângelo, partimos para a execução. Teríamos uma ‘linha’ no aeroporto, para cobrirmos a chegada e outra no encontro  das avenidas Erico Verissimo e José de Alencar, na Azenha, para transmitirmos a Missa. Já em Porto Alegre, Cláudio Karlinski, Luiz Ari Lima, Nilson Pavlak e eu nos reunimos e ponderei  que o diferencial seria arriscarmos transmitir a chegada ao aeroporto Salgado Filho, não do saguão,  mas dentro da pista. Foi o que tentei. Com autorização da  Aeronáutica, Karlinski e Nilson, juntamente com  técnicos da CRT, colocaram cabo e microfone a uns 10 metros de onde o Papa João Paulo II desembarcaria. Quando Sua Santidade atravessou o tapete vermelho, apenas eu e Lasier Martins,  estávamos na pista de pouso, acompanhando o tradicional ato dele se ajoelhar e beijar o solo, com direito a bênção aos repórteres.

1980 II
No aeroporto, entre a aterrisagem do jato com bandeira do Vaticano e o desembarque, não passaram mais de  30 minutos. Mas, estávamos no local muito antes. Chegamos à véspera, numa Belina da rádio. Depois da cobertura de 4 de julho no aeroporto, acompanhamos o cortejo dali até a Catedral Metropolitana.  No dia seguinte, estávamos cedo na Azenha. Era uma manhã ensolarada, mas fria, típica do inverno gaúcho. Levamos  um aparelho de TV, gentilmente emprestado pelas lojas Debacco, para acompanhar mais de perto aos atos (nosso posto de transmissão estava a   uns  100 metros do Altar da Missa Campal). Aparelho não serviu apenas a mim, mas aos demais companheiros da imprensa nacional e internacional, durante a cobertura. Ficamos muito próximos de sua Santidade, um homem forte, de rosto corado, vivendo seus 60 anos. O ‘papa pop’, como era tratado pela imprensa mundial, levou mais de 300 mil pessoas a hoje denominada de Rotula do Papa.

HSA
Deputado Eduardo Loureiro continua buscando alternativas para driblar os problemas imensos dos hospitais filantrópicos do RS. Principal foco recai sobre o Hospital Santo Ângelo. Parlamentar marcou audiência com o secretário da Saúde, João Gabardo dos Reis para a próxima quarta-feira (13), quando será tratada a situação do HSA.

Apocalíptico 

Os sinais do fim. Mãe e filho lutam na justiça para casar. Ela de 36, ele de 19 anos, geram revolta no Novo México, Estados Unidos. Enquanto isso continuam mantendo relacionamento sexual, podendo ser condenados a 18 meses de prisão por incesto. Mãe de 9 filhos deu o caçula para adoção, voltando a encontra-lo pelo FB. Dizem estar loucamente apaixonados

Jeitinho
Ministro do TCU, santo-angelense Augusto Nardes, sobre o Brasil. “Somos conhecidos como o país da improvisação ou como preferimos denominar, do jeitinho brasileiro. Acontece que esse tipo de procedimento tem levado bilhões de recursos para o ralo, com desvios e fraudes. Exemplo as contas de 2014 com 106 bilhões de irregularidades e a de 2015 com 244 bilhões. Se somarmos o que o TCU  encontrou de perdas na Petrobras, o sobre preço chega a 30 bilhões de reais”.

Homenagem
Quatorze policiais militares homenageados pelo governador Jose Ivo Sartori. Policiais recusaram propina de um milhão de reais do traficante foragido, Paulo Seco. Ação ocorreu em Tramandaí e serve de exemplo nesses tempos, em que  a corrupção atinge aos mais altos escalões da república. Ocorre num momento em que os brigadianos sofrem com o parcelamento de salários do funcionalismo.  Ainda  existem instituições confiáveis.
 
Ejaculação
Ainda gerando polêmica  sentença do juiz, libertando  homem que ejaculou no pescoço duma passageira, dentro do coletivo na capital paulista. Preso em flagrante o desajustado ficou poucas horas na cadeia. Na folha corrida do degenerado,  dezessete passagens pela policia, com acusações de crimes sexuais.   Diz-se que a legislação não ajuda. Todavia, com juízes interpretando a lei dessa maneira, a bandidagem agradece. Não é justa sentença assim quando se ejacula no rosto de alguém.  Abusando da impunidade, mesmo homem no sábado (2), foi  detido ao atacar outra indefesa passageira na região da Avenida Paulista. Dessa vez um juiz decretou sua prisão preventiva. Quanto ao  magistrado que o libertou, no primeiro ataque, foi apoiado por diversas entidades classistas pelos ‘ataques sofridos na imprensa e nas redes sociais’.

#Hashtag
#Brasil e Argentina juntos numa caminhada, em outubro, pela internacionalização do Caminho das Missões. Lançamento experimental em 12 de outubro. Programação prevê almoço naquele dia na redução de Corpus, ao lado do rio Paraná, seguido de visitação ao sítio arqueológico.  #Aberto no dia 6, Festival Cidade das Tortas encerra amanhã à tarde, no Centro Histórico. #Conforme a atriz Fernanda Montenegro, ‘a lava-jato mostrou que todos os partidos estão unidos pelo crime’.
 

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte