Coluna de Pedro Belmonte

Rolando
16 de Setembro de 2017 às 07:00

Médico santo-angelense, Rolando Luiz Stumpfle foi homenageado especial no recém-encerrado  Festival Cidade das Tortas. Honra merecida. Há algum tempo não o vejo, pessoalmente. Na última vez, fui convidado por ele e o advogado Sergio Rolim a um jantar. Marcado local e hora, depois de algum tempo de espera, acabei concluindo: esqueceram-se de mim.  Coisas pequenas que não abalam nossa amizade. Rolando, como demonstrou a homenagem, trata-se de um cidadão comunitário, apaixonado pela medicina, por Santo Ângelo e sua gente. Nesse tempo todo esteve visceralmente ligado a medicina e emprestou sua colaboração ao associativismo e ao desporto da cidade. O conheço desde a metade dos anos 1960. Ele se formara em 1962 e assumira a direção do hospital Santa Izabel, da sua família.

Rolando II

Em 1963 eu trabalhava numa empreiteira paulista, contratada pela antiga Rede Ferroviária Federal, para remodelar o trecho ferroviário, Cruz Alta-Santa Rosa. Houve a necessidade da escolha de hospital e médico para atender aos operários que se feriam na troca dos pesados dormentes e trilhos ao longo da ferrovia.  O escritório regional, instalado em Santo Ângelo, firmou convênio com o Santa Izabel e uma seguradora.  A partir daí, os operários   trataram seus pequenos e grandes ferimentos causados pela dura atividade naquele hospital. O jovem médico e seu corpo de enfermeiros foram os  cuidadores das feridas dos mais de 500 homens que tocavam a obra, tornando a via férrea – implantada por Luiz Carlos Prestes – capaz de receber modernas composições a diesel, de carga e passageiros, como o trem Minuano, substituindo as marias-fumaças.

Incriminado
Foi uma hecatombe, abalando as hostes petistas. Ex-ministro, Antônio Palocci, no desenrolar do depoimento na ação das propinas da Odebrecht, acusou duramente ao ex-presidente Lula da Silva, incriminando o ex-chefe. Conforme Palocci, os governos petistas de Lula da Silva e Dilma Rousseff, foram movidos a ‘propina’. Petista ainda afirmou aguardar um acordo de delação premiada e vai colaborar com a justiça espontaneamente. Palocci era conhecido  na planilha da propina como ‘italiano’. Epiteto  sempre negado foi confirmado. Nesse depoimento ao juiz Sergio Moro, deixou claro o objetivo do PT em  consolidar um projeto de poder. Ex-ministro contou ter   sido feito um ‘pacto de sangue’ com Emilio Odebrecht, para Lula da Silva receber propina, mesmo fora do governo. Pacto teria rendido o sitio de  Atibaia, terreno para o Instituto Lula, palestras e uma conta de 300 milhões de reais.  No depoimento de duas horas de duração, Palocci confessou  a Moro ter ajudado ao ex-presidente a cometer vários crimes e que os dois tramaram contra a Lava-jato. Será  o fim da linha para Lula da Silva acabar na cadeia?

Incriminado II
A ex-presidente Dilma Rousseff,  afirma  que Antônio Palocci mentiu ao juiz Sergio Moro ao dizer que a Odebrecht foi beneficiada com a concessão do aeroporto do Galeão. Concessão seria uma compensação pela OAS ter ganhado a administração de Cumbica, em Guarulhos. Dilma  chamou o depoimento de ‘ficção. Para a militância, depoimento foi duro e uma pá de cal nas pretensões do partido. Quanto  ao ex-presidente, além de por em dúvida a amizade entre os dois, considerou as acusações inverídicas. Porém,  o que esta mal pode piorar. Outro ex-ministro do partido, Guido Mantega, em seu acordo firmado com o MPF, prometeu detalhar como recolhia dinheiro para o PT.  Na segunda-feira (11), ex-presidente foi denunciado por corrupção passiva na Operação Zelotes. Com Gilberto Carvalho teriam solicitado 6 milhões de reais para viabilizar a edição de uma MP.

Carnes
Mais de 150 pessoas compareceram a audiência publica da AL, realizada na Câmara Municipal de Giruá, segunda-feira (11). Promovida pela Comissão de Assuntos Municipais, presidida pelo deputado Eduardo Loureiro,  audiência sobre o Decreto das Carnes aumentou o debate, aglutinando diversos  municípios regionais. Eduardo Loureiro sustenta que tema de alta complexidade ‘deveria ser normatizado, por lei, com amplo debate das comissões do parlamento e não através de decreto impositivo’.

Prisão
Apesar do deboche, dito em português arrevesado (‘nóis’ não vai ser preso... ’), o criminoso confesso, Joesley Batista, teve prisão decretada pelo ministro Edson Fachin. Ele  e Ricardo Saud se entregaram a PF no domingo (10). Fachin também suspendeu os benefícios dos dois. Pedido de prisão partiu do Procurador-Geral, Rodrigo Janot. Joesley,  acusado de omitir  informações no acordo de delação, admitiu ter novas gravações. Na segunda-feira (11), condicionou a entrega  à manutenção do generoso acordo. Não levou. Acordo de leniência foi suspenso parcialmente. O irmão Wesley foi se juntar a ele, preso preventivamente. 

Quadrilha
 Segunda-feira (11), cheia de notícias bombásticas. PF  divulgou relatório em que aponta ter o presidente Michel Temer recebido R$ 31,5 milhões de vantagens do ‘quadrilhão da Câmara’. Na terça-feira (12), foi novamente alvo de investigação, no STF, autorizada pelo ministro Luiz Roberto Barroso, para apuração do Decreto dos Portos.  Na quarta-feira (13), havia possibilidade duma segunda denúncia de Rodrigo Janot. Procurador-geral deixa o cargo na segunda-feira (18). Temer afirmou não ter participação nenhuma em ‘quadrilha’ e lamentou as insinuações que tentam denegrir sua ‘imagem pública’, sem se pronunciar no caso dos Portos.

#Hashtag
#‘Flechas’ do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, atingiram senadores do PMDB. Sexta-feira (8) apresentou denúncia ao STF, contra Edson Lobão, Romero Juca, Valdir Raupp, Jader Barbalho, além do ex-senador Jose Sarney. Foram denunciados por organização criminosa. #Advogado santo-angelense, Otavio Campos, sobre o momento politico: “Urge a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte originária de uma nova ordem jurídica, votada por legisladores eleitos unicamente para esse fim, em substituição a Constituição de 1988, possível naquela quadra da historia e que não mais aceita ser emendada por políticos corruptos, na salvaguarda dos próprios interesses”.

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte