Notícias: Geral

Conselho Tutelar está cobrando mais os deveres de crianças e adolescentes

Relatório mostra que em 2011 houve aumento no número de atendimentos de conflitos sócio-familiares

17 de Janeiro de 2012 às 14:20
Conselho Tutelar está cobrando mais os deveres de crianças e adolescentes
Coordenadora do Conselho, Rosemeri Grás, diz que pais devem exercer autoridade sobre filhos. Foto: Odair Kotowski/JM

Conflito sócio-familiar, desobediência familiar e infrequência escolar foram as ocorrências que mais foram registradas pelo Conselho Tutelar de Santo Ângelo, em 2011, segundo um relatório divulgado na semana passada.

Ao todo, foram 202 atendimentos de conflito familiar, ou seja, desentendimento entre pais e filhos; 91 atendimentos de desobediência familiar e o mais preocupante, 483 preenchimentos de Fichas de Comunicação de Aluno Infrequente (Ficais), que foram assinadas por pais de crianças e adolescentes que deixaram de frequentar a escola, de adolescentes que abandonaram os estudos por conta de gestação ou pelo afastamento da escola em razão do uso de drogas.

Para a coordenadora do Conselho Tutelar, Rosemeri Carneiro Grás, o que está acontecendo é que os pais não estão exercendo as suas autoridades sobre os filhos. “Os pais estão perdendo o controle sobre os filhos e delegando esta função aos outros, como por exemplo, o Conselho Tutelar. Vivemos uma geração onde os filhos estão argumentando mais por conta das tecnologias que estão ao alcance deles. É muita informação para pouca orientação”, frisa.

Segundo Rosemeri, quando o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) surgiu, falava apenas em direitos das crianças, porém, hoje, direitos e deveres estão andando lado a lado. “Quando o Estatuto foi criado em 1990, muita gente falava que o Conselho surgiu para defender os direitos das crianças e que estava tirando o poder dos pais de ensinar os fihos como desejassem, no entanto, o Conselho Tutelar é um órgão protetor e não de repressão. Hoje, estamos trabalhando com os direitos, mas principalmente, com os deveres. Estamos apoiando os pais e a escola”, disse.

DROGAS

Em 2011, foram atendidos 56 casos de drogadição. Mesmo com o número parecendo alto, diminuiu em relação a 2010. “São poucos os casos de adolescentes usando drogas. Não é que diminuiu totalmente, mas podemos dizer que deu uma estagnada”, afirma Rosemeri.

ABUSO SEXUAL E PROSTITUIÇÃO

Chama a atenção no relatório os casos de abuso sexual e prostituição. No ano passado, foram registrados 32 abusos sexuais, onde as vítimas são, em sua maioria, meninos e meninas a partir dos 13 anos. Os acusados são pais, tios, padastros e até avôs.

Foram 48 ocorrências de prostituição, envolvendo tanto meninos quanto meninas. “O problema existe porque os pais não tem controle sobre os filhos e é uma forma dos adolescentes ganharem dinheiro fácil. Mas o maior problema de tudo isso, é que estando na prostituição, ficam a mercê das drogas e acabam perdendo a juventude”, enfatiza.

CASOS DE MENDICÂNCIA

A coordenadora do Conselho acrescentou que continuam sendo registrados casos de mendicância em Santo Ângelo: em 2011, foram 36 atendimentos. “Precisamos parar de estimular a mendicância na cidade porque as crianças são protegidas por programas de governo específicos que garantem renda e atendimento no horário inverso ao da escola. Aquelas que recebem o Bolsa Família, por exemplo, podem até perder o benefício ao ser flagrada mendigando. Não podemos deixar a nossa infância e adolescência abandonada. É importante que denunciem”, falou.

O telefone de contato do plantão 24h do Conselho Tutelar é: (55) 8419-5716. Durante o horário de expediente o telefone é (55) 3312-5555. 

Por Odair Kotowski - odair@jornaldasmissões.com.br

Mais Notícias: Geral