Notícias: Geral

‘Acreditamos que até o fim do ano conseguiremos colocar 100% dos alunos de 4 a 5 anos nas escolas’

Secretária Rosa Maria de Souza, comenta sobre as expectativas, dificuldades e desafios para 2016

16 de Janeiro de 2016 às 08:00
‘Acreditamos que até o fim do ano conseguiremos colocar 100% dos alunos de 4 a 5 anos nas escolas’
Rosa Maria de Souza, secretária municipal de Educação

Jornal das Missões: Qual a expectativa da rede municipal de ensino para o retorno das aulas?

Rosa Maria de Souza: Sempre ao início de cada ano letivo existe uma expectativa da secretaria municipal de Educação em relação a volta às aulas e à questão da formação dos professores. Nesses dois últimos as nossas ações estão voltadas para a melhoria da infraestrutura dos nossos prédios escolares e também para a aquisição de equipamentos que melhorem estes ambientes, porque acreditamos que os alunos e professores inseridos em ambientes adequados para o aprendizado terão a garantia do sucesso no aprendizado. Nesse sentido, nós iniciamos agora o ano letivo com a finalização de várias licitações para reformas, reparos e a conclusão da pintura de 26 prédios escolares, trabalho que não foi executado em 2015 e que será feito agora. Estamos agilizando para os meses de janeiro e fevereiro para que essas obras de pintura sejam finalizadas. Não podemos prever, principalmente por conta das questões climáticas se haverá tempo de concluir essas pinturas, mas a expectativa é de que até o mês de março nós estejamos com tudo pronto. 

JM: Além da pintura dessas escolas, que outras obras devem ser executadas em 2016?
Rosa Maria: Algumas obras de reforma serão iniciadas agora em janeiro, cada uma com um prazo de término pelo tamanho da construção. São três escolas: Eurico de Morais, no Bairro Haller, Marcelino Champegnat, na ERS-344 Bairro São João, e a Margarida Pardelhas, no Bairro Hortênsia. São melhorias no prédio, construção de área coberta, construção de cobertura na quadra, vários serviços. E o nosso setor de engenharia está finalizando outras obras de reforma que nós queremos encaminhar para o departamento de compras da secretaria da Fazenda  até o mês de abril para que possamos concretizar mais melhorias nessas escolas municipais que necessitam. 
 
JM: Como será o início do ano letivo?
Rosa Maria: Nosso principal trabalho é direto com os nossos alunos. No dia 22 fevereiro, no turno da manhã, faremos a abertura oficial do ano letivo com todos os professores e demais servidores que trabalham nas escolas. Nesse dia, pela manhã, nós teremos três importantes momentos. Primeiro, ofereceremos um espaço para o nosso promotor de Educação, Márcio Bressan, que solicitou uma fala com todos os setores. Após, faremos um trabalho de combate à dengue, recebendo a equipe da Vigilância Sanitária para desenvolver uma atividade para que os professores possam reforçar às comunidades escolares a importância dos cuidados e prevenção do Aedes aepypti em todos os lugares. E o momento principal da manhã será o espetáculo da peça teatral A Torre, que é apresentada pelo grupo Luz e Cena, e está girando por toda a região, direcionada à função do professor. A volta às aulas dos alunos mesmo é no dia 23, tanto para a Educação Infantil, quanto para o Ensino Fundamental. 
 
JM: O município está preparado para cumprir a principal meta do Plano Nacional de Educação, que é oferecer atendimento a 100% das crianças de 4 e 5 anos na pré-escola, ainda em 2016?
Rosa Maria: Nós estamos organizados para isso, com cinco turmas que poderão ser abertas. No momento ainda não foi necessário. Em um primeiro momento, estamos colocando as crianças em várias escolas de Ensino Fundamental e Educação Infantil, e está sendo o suficiente, porém, sabemos que muita gente ainda não nos procurou. Então, continuamos a nossa campanha com todos os pais, a imprensa, os agentes de saúde, clubes de mães, núcleos comunitários e pastorais da criança, para trazer os pais para a escola para fazer a matrícula das crianças de 4 e 5 anos. Acreditamos que com essas cinco novas turmas, caso seja necessário, conseguiremos atingir os 100% de alunos nas salas de aulas até o fim do ano.
 
JM: Atualmente, quais as maiores dificuldades do município na área da educação?
Rosa Maria: O principal problema do nosso município, e não só do nosso município, é a questão das vagas de 0 a 3 anos, berçário e maternal. Porém, essa meta é bem mais ampla no Plano Nacional de Educação, e é de atingir 50% da demanda até 2025. Se a cada ano o município ampliar 100 ou 200 vagas brevemente a meta será atingida. Para que isso aconteça nós estamos retirando as pré-escolas dos estabelecimentos de educação infantil e levando para as escolas de Ensino Fundamental, abrindo mais vagas para berçário e maternal. Além disso, nós criamos algumas turmas de turno parcial de três anos. Ao invés uma turma em turno integral, nós dividimos e fizemos 20 pelo turno da manhã e 20 pelo turno da tarde, porque muitos pais não precisam de vaga integral.
 
JM: Todos os alunos do meio rural terão acesso a transporte escolar em 2016?
Rosa Maria: Os alunos que estão matriculados na rede municipal de ensino tiveram inscrições abertas durante todo mês de dezembro para solicitar transporte escolar. Em fevereiro deve abrir uma nova etapa de inscrições, possivelmente na segunda semana, mas ainda vamos divulgar a data certinho. Quem necessita de transporte e não têm vagas nas escolas próximas à sua residência, necessitando ir à uma escola mais distante e comprovar isso, terá direito ao transporte escolar sim. Todos os estudantes da rede municipal que moram no meio rural têm direito a transporte. Esse ano o complexo é a alteração da questão do oferecimento do transporte escolar somente para os alunos do município. Houve um rompimento com a rede estadual, mas os nossos alunos têm transporte garantido a partir da pré-escola. Apenas alunos do berçário e maternal não têm esse benefício. 
 
JM: Qual o maior desafio para a educação municipal neste ano que está iniciando?
Rosa Maria: O maior desafio é a melhoria da qualidade do ensino, e isso não depende só dos gestores, mas sim de cada educador, da função de cada um. Isso vem da questão do querer. A secretaria municipal de Educação tem uma função importantíssima em todo esse processo, mas depende de cada um para que possamos ter uma melhor educação do nosso município.

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral