Notícias: Geral

Santo Ângelo: Valor da gasolina se mantém, apesar de queda nos preços da Petrobras

Nos postos pesquisados pelo JM não houve alteração

18 de Outubro de 2016 às 08:00
Santo Ângelo: Valor da gasolina se mantém, apesar de queda nos preços da Petrobras
Se o repasse for feito integralmente para o preço ao consumidor, as reduções representarão uma queda de R$ 0,05 por litro na gasolina e no diesel (Foto: Arquivo/JM)

A queda no preço da gasolina da Petrobras, anunciada na última sexta-feira (14), ainda não teve reflexos diretos no bolso do consumidor em Santo Ângelo. A redução anunciada pela empresa foi de 3,2% do preço da gasolina em suas refinarias, a partir da zero hora de sábado (15). Também haverá redução de 2,7% no preço do diesel. Os reajustes são reflexo de uma nova política de preços aprovada na semana passada.

Na capital das Missões, o valor da gasolina na bomba ainda não sofreu alterações nos postos pesquisados pelo Jornal das Missões. O proprietário do Posto Flach, Júlio César Machado, explica que a tendência será aguardar o comportamento do mercado, mas que a previsão é de que o reflexo seja pequeno, ou nem exista, já que os postos já vêm operando com um valor abaixo, “em função na queda da  demanda, os postos de combustíveis já estão trabalhando com as margens baixas”, explica.

O gerente do Posto Santo Antônio, Marcos Dias, destaca que o seu fornecedor ainda não sinalizou baixa nos valores, sendo assim, “somente será possível trabalhar com descontos quando recebermos uma sinalização verídica do distribuidor”. A posição é a mesma no Posto Integração, que, segundo o proprietário Marcelo Volkies, até o momento, ainda não recebeu o repasse na redução do fornecedor.

Se o repasse da redução no preço na refinaria for feito integralmente para o preço ao consumidor, as reduções serão de 1,4% na gasolina e 1,8% no diesel, o que, em ambos, representa, uma queda de R$ 0,05 por litro.

A nova política da Petrobras terá preço de paridade internacional (PPI), margem para remuneração de riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado. A empresa estabeleceu, entre outras coisas, que nunca terá preços abaixo da paridade internacional. A política de preço de paridade internacional (PPI) inclui os custos com frete de navios, custos internos de transportes e taxas portuárias. Os preços serão revistos pelo menos uma vez por mês, que podem ser reduzidos, aumentados ou mantidos.

Mais Notícias: Geral