Notícias: Geral

Moradores da Avenida Getúlio Vargas reivindicam redutores de velocidade

Acidente de trânsito que resultou em uma pessoa morta foi a “gota d’água”

27 de Dezembro de 2016 às 09:16
Moradores da Avenida  Getúlio Vargas reivindicam redutores de velocidade
Moradores pedem as autoridades que providenciem redutores de velocidade na avenida (Foto: Paula Motta/JM)
Moradores da Avenida Getúlio Vargas reuniram-se na tarde de ontem para reivindicar maior segurança no local. Após a nova pavimentação, a avenida não obteve novos redutores de velocidade e faixas de segurança. A “gota d’água” foi um acidente na manhã deste domingo (25), que resultou na morte de uma pessoa.
 
INSEGURANÇA
Nove moradores se reuniram na tarde de ontem, próximo a ponte que fica entre a Getúlio a Rua Santa Rosa, para conversar com o Jornal das Missões. Estiveram presentes Cerize Fernandes da Silva, Rosângela Langes, Nara Nascimento, Carlos Rodrigues, Noé Mattana da Veica, Cláudio Nascimento, Clarice Schorr, Jane da Costa e Eliane Almeida, todos moradores próximos e da avenida.
Em conversa, eles relatam sobre a insegurança que a nova pavimentação trouxe, pois não houve a colocação de novos redutores. Próximo ao local do encontro, os moradores contam que haviam cerca de seis quebra-molas, o que tornava a travessia mais segura.
Rosângela conta que não deixa mais seu filho ir a pé sozinho para a escola, que fica cerca de 500 metros de sua casa. “Muitos pais da vizinhança contrataram vans para levar seus filhos nessa mesma escola, pois não se sentem seguros. As crianças não podem mais sair na rua brincar”, relata. Para ir conversar junto aos vizinhos, a moradora contou que trancou o portão de sua casa para o seu filho não sair e atravessar a rua sozinho, por conta do perigo.
Os moradores ressaltam que a pavimentação não é o problema, mas acreditam que a obra deveria ser terminada com a colocação de algum tipo de redutor de velocidade.
Cláudio conta que baixou um aplicativo em seu celular que mede a velocidade dos carros, e alguns foram flagrados a mais de 100km/h. No local é permitido andar a 60 km/h. 
 
RESPOSTA DAS AUTORIDADES
Rosângela contou que eles entraram em contato com a Secretaria de Obras e com o Departamento Municipal de Trânsito (DMT). E a última resposta que teve era que esperasse a próxima gestão assumir o município. “Não queremos mais esperar. Eles vão esperar outra pessoa morrer para fazer algo?”, completa Rosângela.
Procurado pelo Jornal das Missões, o engenheiro da Secretaria de Obras, Eder Guedes, explicou que a pasta não tem autonomia para realizar o pedido da comunidade, que apenas poderia atender os pedidos do DMT.
Procuramos o DMT, porém não obtivemos respostas sobre o caso. Conforme a funcionária Bernadete, o diretor do departamento, Hugo Edgar Prestes, não havia ido trabalhar alegando motivos de saúde. De acordo com a funcionária, na ausência dele, ninguém pode responder sobre o assunto. Tentamos também contato direto pelo telefone pessoal do diretor, mas o número encontrava-se indisponível.
No início de novembro, em uma reportagem realizada pelo Jornal das Missões, Edgar declarou que  na última reunião do Conselho Municipal de Trânsito (CMT) realizada na época, o órgão optou por realizar alterações apenas no próximo ano, com a avaliação do novo governo e também com indicações do Plano de Mobilidade. 
Entramos em contato com a presidente do CMT, Janete Hoesler, que declarou não ter recebido nenhum pedido protocolado sobre este assunto até o momento. O papel do conselho, de acordo com a presidente, é fazer uma deliberação, que vai ao DMT ou ao prefeito, após assembleia em que é definido o que o município precisa de mudanças no trânsito. 
Na opinião de Janete, o local realmente precisa de mudanças, mas acredita que o tempo foi curto para que fossem feitas as lombadas novas. Ela declarou que espera que na próxima gestão isso seja feito e que é isso que o conselho espera.
 
UMA PESSOA MORTA
Na manhã deste domingo (25), uma idosa morreu em um acidente de trânsito na Avenida Getúlio Vargas. A colisão envolveu dois veículos. Devido impacto da batida, Maria José Cocaro Pedroso, 73 anos, não resistiu e morreu no Hospital Santo Ângelo.
Um dos carros tinha placas de Vitória das Missões e outro, de Santo Ângelo. Além disso, uma criança ficou ferida, mas sem gravidade. Equipes do Corpo de Bombeiros, Samu e Brigada Militar atenderam o acidente. A Polícia Civil investiga as causas da colisão.
Conforme dados repassados pelo 7º Regimento de Polícia Montada (7º RPMon), de janeiro até 25 de dezembro de 2016, foram registrados 80 acidentes de trânsito na Getúlio. 
A pavimentação da avenida foi realizada em setembro, e desde este mês foram registrados 30 acidentes de trânsito, sendo 14 com danos materiais e 15 com lesões corporais e uma morte.
 
 
 

Por Paula Motta - paula@jornaldasmissoes.com.br

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral