Notícias: Polícia

Vereador esclarece posição sobre repasse de verbas à Fenamilho

Lauri Juliani rebateu críticas feitas à emenda que objetivava transformar a doação em empréstimo

07 de Maio de 2015 às 09:25
Vereador esclarece posição sobre repasse de verbas à Fenamilho
“Não vão calar a nossa boca, estamos ao lado do povo, que clama por melhores serviços”, disse o vereador Juliani (Foto: Arquivo/JM)

A doação de R$ 125 mil dos cofres do município para a Fenamilho vem gerando polêmica na cidade. O projeto de lei prevendo o repasse, de autoria da Prefeitura, foi aprovado, por maioria, na sessão da Câmara de Vereadores do dia 27 de abril.

Na oportunidade, seis vereadores apresentaram emenda com o objetivo de transformar a doação em empréstimo. Porém, a emenda foi rejeitada e o projeto foi aprovado com sua redação original, ou seja, com o repasse na forma de doação pura e simples.

Após a referida sessão, a posição dos seis vereadores autores da emenda foi fortemente criticada por órgãos de imprensa de propriedade do prefeito municipal, Valdir Andres, que acusaram os parlamentares de serem contrários à 17ª Fenamilho, bem como de desconhecerem os investimentos que vêm sendo realizados pela Feira no Parque Municipal de Exposições, que somariam mais de R$ 500 mil e que serão incorporados ao patrimônio do município, proprietário do local.

Diante dos ataques, na sessão da Câmara de Vereadores da última segunda-feira (4), o vereador Lauri Juliani (PDT) rebateu com veemência as críticas efetuadas pelo jornal A Tribuna e pela Rádio Sepé Tiaraju.

“QUEREM A VOLTA DA DITADURA”
“Querem amordaçar esta Casa, espalhando inverdades, notícias distorcidas e ofensas pessoais”, afirmou o vereador Juliani, asseverando que todos são a favor da Fenamilho. Disse ainda que é inadmissível que pessoas se escondam atrás de páginas de jornal para fazer como no tempo da ditadura.

“Mas não vão calar a nossa boca, estamos ao lado do povo, que clama por melhores serviços; pela UPA, por atendimento médico, estradas e pontes no interior. Para isso não tem dinheiro, mas para doar para a Feira tem. Está certo isso?”, indagou o vereador.

PRAZO DE 180 DIAS
O vereador Lauri Juliani, assim como os vereadores Everaldo Oliveira (PDT) e Jacqueline Possebom (PDT), esclareceram em seus pronunciamentos, durante o chamado “Pinga-Fogo”, que o texto da emenda causadora da polêmica previa que o valor de R$ 125 mil deveria ser devolvido aos cofres públicos em 180 dias, como ocorreu em praticamente todas as edições anteriores da Fenamilho.

“Mas distorceram tudo”, disse Juliani, se referindo às reportagens, que informaram que a emenda previa a devolução do dinheiro em um prazo de 90 dias; sendo que, na verdade, o prazo previsto na emenda era o dobro, ou seja, de 180 dias.

Por fim, o vereador garantiu que os ataques não irão intimidar os vereadores, que irão continuar cumprindo, como representantes do povo, com o seu dever de fiscalizar o poder público, inclusive examinando todos os detalhes da prestação de contas da Fenamilho.

Além de Juliani, Everaldo e Jacqueline, foram autores da emenda os vereadores Nanaco (SDD), Vando Nolasco (PDT) e Paulo Machado (PC do B).
 

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Polícia