Notícias: Polícia

Mulher é agredida, arrastada pelos cabelos e morta a tiro na casa de uma amiga no Boa Esperança

Polícia Civil não descarta a hipótese de que Ana Paula tenha sido vítima de feminicídio

31 de Julho de 2018 às 09:30
Mulher é agredida, arrastada pelos cabelos e morta a tiro na casa de uma amiga no Boa Esperança
Reportagem do JM ouviu o irmão da vítima, no velório realizado no Bairro São João (Foto: Oda Kotowski/JM)

Uma mãe arrasada pela dor da perda e uma família inteira em luto. Em meio as mãos cruzadas de Ana Paula da Silva Bender, 20 anos, cujo corpo era velado nesta segunda-feira (30), no Núcleo Comunitário do Bairro São João, o botão de uma rosa vermelha parecia não ter o seu real significado - o amor e a paixão.

Ela foi encontrada morta no final da tarde de domingo (29), por volta das 17h40, na cozinha da residência de uma amiga na confluência das ruas Progresso e Amapá, no Bairro Boa Esperança, em Santo Ângelo. A delegada que investiga o caso, Elaine Maria da Silva, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), não descarta a hipótese de que Ana Paula tenha sido vítima de feminicídio - um termo de crime de ódio baseado no gênero amplamente definido como o assassinato de mulheres. “Evidências revelam que havia um relacionamento amoroso entre a vítima e o suposto autor do crime. Contudo, ainda é cedo para fazer qualquer afirmação pois estamos em processo de investigação e temos 30 dias para concluir o inquérito policiail”, afirma a delegada.

O corpo de Ana Paula foi velado ontem no Núcleo Comunitário do Bairro São João, a poucos metros da residência onde ela morava com a mãe Suzana, os irmãos Michael e  Eric e o filho Wallacy - de 1 ano e sete meses: Rua Marcelino Champanhat, 900. Foi nesta casa, que segundo o irmão Michael, há uma semana três homens teriam anunciado para a mãe da vítima que Ana Paula seria morta.

A mãe prostada, com o neto em seu colo, ao lado do caixão, afirma que não foi nenhum destes homens que matou a sua filha. “Ainda estou sem acreditar no que aconteceu. Não foi nenhum daqueles homens que esteve lá em casa que matou a minha filha”, disse emocionada, sem ter pistas de quem possa ter sido o autor do crime.

O irmão Michael relata os últimos momentos que teve ao lado da irmã. “Ela saiu de casa na sexta-feira (27) à noite, logo depois da janta e como sempre fazia foi para a casa de uma amiga no Bairro Boa Esperança. Voltou para casa no domingo (29) bem cedo, antes das 8h. Dormiu, acordou, almoçou e foi comigo até uma bebilar comprar um refrigerante. Era passado das 4h da tarde quando ela saiu e disse que iria na casa desta mesma amiga. Não demorou muito e minha prima Raquel veio nos comunicar que Ana Paula estava morta”, afirma.

Testemunhas relataram aos familiares que viram Ana Paula sendo agredida próximo de uma quadra de esportes no Bairro Boa Esperança. “Dali ela foi arrastada pelos cabelos até a casa desta amiga onde encontramos ela morta. Não sabemos quem fez isso. Não encontramos ninguém na casa, apenas a Ana, caída na cozinha com duas marcas de tiros na cabeça. Ela era usuária de drogas”, finalizou o irmão.

Fotos vinculadas

Vítima Ana Paula da Silva Bender tinha 20 anos e era mãe de um menino de 1 ano e sete meses de idade (Foto: Divulgação)

Por Oda Kotowski

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Polícia