Notícias: Política

Justiça determina apreensão de fitas da Rádio Sepé por suspeita de propaganda eleitoral antecipada em benefício de Valdir Andres
23 de Junho de 2012 às 07:00
Justiça determina apreensão de fitas da Rádio Sepé por suspeita de propaganda eleitoral antecipada em benefício de Valdir Andres
Valdir Andres (PP)

A Justiça Eleitoral acolheu nesta semana representação do Partido Democrático Trabalhista (PDT) contra o pré-candidato Luiz Valdir Andres (PP), a Rádio Sepé Tiaraju, o jornal A Tribuna Regional e o Partido Progressista por propaganda eleitoral antecipada.

Conforme o advogado representante do PDT, Thiago Gebert Garcia, desde o final do ano passado vem ocorrendo propaganda eleitoral antecipada beneficiando Luiz Valdir Andres. “Saem fotos dele no jornal, no site, participa de programas de rádio, sem que nem tenha sido feita a convenção do partido. Até fizeram um calendário com foto de Valdir Andres e a vereadora Zilá Andres com a senadora Ana Amélia Lemos”, observa Garcia.

O advogado ressalta que a representação na Justiça Eleitoral especifica duas participações de Luiz Valdir Andres em especial. “Uma ocorreu no dia 7 de junho no programa Aldeia Global, da Rádio Sepé Tiaraju, em que ele fez uma espécie de lançamento de sua campanha, falando os planos de governo, fazendo críticas ao atual governo, o que já vem acontecendo há um bom tempo. Já no dia 17, domingo, durante o programa A Volta do Tropeiro, ele participou novamente e aproveitou para falar do seu plano de governo”, explica Thiago Garcia.

O juiz eleitoral deferiu a representação com pedido de apreensão das fitas que contém a gravação dos programas Aldeia Global e A Volta do Tropeiro, determinando a conservação e a apresentação em juízo dos materiais. Também foi aberto prazo até segunda-feira (25) para os réus apresentarem defesa.

Caso a Justiça Eleitoral julgue que as participações configuraram propaganda eleitoral antecipada, os réus podem pagar multas de R$ 5 mil a R$ 25 mil.

A campanha eleitoral só é permitida a partir do dia 6 de julho, dentro das normas estabelecidas pela legislação.

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Política