Notícias: Política

“Isso mostra o valor que um único voto tem”, diz vereadora que assumiu mandato em Coronel Pilar

Veridiana Bassotto Pasini cumprirá mandato até o início de outubro

18 de Setembro de 2014 às 08:15
“Isso mostra o valor que um único voto tem”, diz vereadora que assumiu mandato em Coronel Pilar
Veridiana teve apenas o seu próprio voto nas eleições de 2012 (Fotos: Câmara de Vereadores de Coronel Pilar/Divulgação)

Depois de se candidatar sem a pretensão de se eleger no pleito municipal de 2012, a secretária de dentista Veridiana Bassotto Pasini, do município de Coronel Pilar (de aproximadamente 1.700 habitantes), localizado na Serra gaúcha, a 36 quilômetros de Bento Gonçalves, está exercendo o mandato de vereadora e diz que agora, com sua atuação na Câmara e a possibilidade de trabalhar em prol da população, é possível ter a certeza da diferença que um único voto faz.

A vereadora, 39 anos, teve apenas o próprio voto nas eleições municipais de 2012 e havia tomado posse no último dia 3. “Isso mostra o valor que um único voto tem. Antes eu não tinha ideia de como era, mas agora que assumi penso um pouco diferente e vi que dá para fazer muito pelo município, mesmo que seja representando um voto”, afirma, em entrevista ao programa Rádio Visão, da Rádio Santo Ângelo. Ela ficará no cargo até o início de outubro.

Ela é filiada ao PTB e assume a vaga como sétima suplente da coligação entre o PTB, PP e PMDB. A secretária de dentista foi empossada porque o titular da coligação, Luciano Contini (PMDB), afastou-se por licença médica durante 60 dias. Na ocasião, a primeira suplente Iraci Moresco Zanatta assumiu o cargo por 30 dias, deixando o lugar vago para outro. “Os outros seis suplentes estão com problemas pessoais que os impedem de assumir, seja por transferência de título ou projetos pessoais. Foi assim que eles chegaram à minha suplência”, comenta Veridiana.

ATIVIDADES PROFISSIONAIS
A colição PTB, PP e PMDB elegeu cinco dos nove vereadores de Coronel Pilar e, mesmo sem campanha, o único voto de Veridiana lhe garantiu uma vaga na Câmara.

Natural de Desvio Machado, no interior de Farroupilha, Veridiana se mudou para Coronel Pilar ao se casar com Luiz Carlos Pasini, em 2005. Atualmente, ele é presidente do PTB no município. Por quatro anos, no período de 2005 a 2008, a vereadora trabalhou no setor de compras e almoxarifado da Prefeitura. Em 2009, quando o filho do casal nasceu, ela parou de trabalhar, tendo voltado aos afazeres há um mês, como secretária em um consultório odontológico.

“COMBINAMOS DE NINGUÉM VOTAR EM MIM”
Veridiana já participou de algumas sessões solenes e apresentou uma indicação ao Legislativo. “Solicitei que o Executivo atentasse para as necessidades da comunidade onde moro”, afirma. Ela salientou, ainda, quando questionada se concorreria ao pleito de 2016, que não havia nada confirmado, mas que não descartava a hipótese.

Sem fazer campanha e sem pretensão de se eleger, a candidata Veridiana Pasini conta ter aceitado concorrer apenas para o partido, o PTB, presidido por seu marido, cumprir com a destinação obrigatória de vagas femininas. “Após homologar a candidatura, pensei melhor e decidi, junto com o partido, não fazer campanha e apoiar outro candidato que tinha mais probabilidade de ganhar”, destaca.

Ainda não tendo feito campanha, ela votou em si mesma no dia da eleição, na seção eleitoral em que está cadastrada, na comunidade de São Bartolomeu. Questionada sobre o fato do marido também não ter votado em sua candidatura, ela justifica: “Combinamos de ninguém votar em mim para ajudarmos o outro candidato que é meu sobrinho. Preferimos apoiá-lo também por eu não ser natural daqui. Vejo que ele tinha mais condições de ser eleito e por isso escolhemos fazer isso”.

Fotos vinculadas

Vereadora concedeu entrevista à Rádio Santo Ângelo

Por Talita Mazzola (redacao@jornaldasmissoes.com.br)

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Política