Início Colunistas Renato Schorr

Renato Schorr

Advogado e tradicionalista. Escreve nas edições de quinta-feira.

Na edição do dia 19 de agosto abordamos aspectos culturais ligados a povoação de Santo Ângelo Custódio, desde o período índio jesuítico, considerando por cultura tudo aquilo que envolve uma sociedade e suas ações, entendendo que as atividades humanas são frutos de conhecimento e/ou pesquisa, envolvendo o saber. Os...
Enquanto estamos vivendo um tempo novo, de causar estranheza, em virtude das situações de saúde, o qual precisa ser compreendido, embora, entende-lo seja uma situação bem mais difícil, dificílima, talvez seja o termo adequado, todos nós, “presos” entre aramados da sorte, recolhidos aos refúgios para os quais tentávamos retornar...
A data 25 de julho, no Brasil é reservada para homenagear o Colono e o Motorista. Comemorar sem parar com o labor, por óbvio! As duas categorias profissionais, sem dúvida alguma, são expoentes da nação: uma, pela produção alimentar; duas, pelo transporte, quer do produto in natura, outra, do...
A lida bruta nos fundos dos rincões, sol a sol, mês a mês, janeiro a janeiro, merecem compensação? Ainda que campesino, surrado dos duros ofícios, cativo dos galpões, garrão de potro, chapéu pança de burro, um misto de bombacha remendada com tirador, a cobrir-lhe os arredores da cintura, olhar...
Seguia meu rumo – sem rumo – rumando em descompasso, mas passo a passo. Num repente, brumas! Brumas? Elas são filhas do sereno, é a humidade condensada, vapor. Com a visão prejudicada, seguia no trote do parceiro dos arreios, saudando a mãe natureza, conversando com os invisíveis, enquanto no...
Ao longo de um corredor ele montou um ranchinho de capim, no longo do imaginário, afinal, a bombacha remangada e os pés descalços retratavam-no fielmente e sua autenticidade não lhe permitia, em momento algum, ostentar outra verdade que não, a própria. Onde iria edifica-lo, com quatro estacas? Nada possuía!...
Lá estava ela! Láááá... onde a coxilha dobra espinha pra canhada. Jamais se mostrava toda, sempre num espia-esconde, esconde-espia! Fazia graça.. ria-se da graça que ela própria fazia. A coxilha era sua morada. Passava circundando, em momento algum oferecia sossego à si mesma. Alternava os movimentos seguidamente, evitando dessa...
Segundo consta do vernáculo, abdicação: ato ou efeito de abdicar, desistência, renúncia. Um ato pessoal. Um direito líquido e certo. A renúncia ao direito de assunção de cargo traz em seu bojo a vontade própria do abdicante e pode ocorrer em entidades sociais privativas ou em cargos públicos. Os...
O clima moldou-a! Ela nasceu sobre uma coxilha, bem ali na bifurcação do arroio com o rio. Um recanto hostil no inverno, rude no verão, outonos e primaveras menos judiados, ainda assim, desesperançado. Isso, para os visitantes, viageiros, passantes, cruzadores, a das sensíveis gentes dos centros urbanos, acostumadas aos...
Alô malvado! Vou ignorar teu nome, ante tua antipatia, além disso, teu tempo esgotou, vá embora, siga tua estrada, pra donde vieste ou te dilua nas águas sanitárias, nas chamas dos caldeirões, nos ácidos utilizados pelos cientistas visando findar maledicências. Nunquinha recupere qualidades, sequer, os motivos da tua algoz...