Dois toques

0
129

ARENA DO GRÊMIO – O resultado da eleição no Grêmio, que ocorre hoje, passará, obrigatoriamente, pelo fator estádio. O atual presidente Fábio Koff vem anunciando, desde a semana passada, o fechamento de acordo com a OAS para a compra da gestão da Arena. Fábio Koff não concorre à reeleição. Mas tem sucessor: Romildo Bolzan Jr. Como este sempre foi o grande sonho do torcedor gremista, de ser de fato e de direito dono da Arena, o anúncio privilegia o candidato da situação. A oposição brada aos quatro cantos que o negócio não é confirmado pela OAS, tentando dizer ao torcedor que a notícia é eleitoreira. Este filme, todos já vimos. Alguma semelhança com o atual momento político brasileiro não é mera coincidência. O que o torcedor gremista quer mesmo é que o clube volte a encontrar o caminho de títulos!

FELIPÃO – Treinadores não costumam assumir posições em política de clubes. Felipão, pela sua personalidade, não ficou em cima do muro e declarou simpatia ao grupo do Fábio Koff. Posicionamento normal pela amizade que tem com o atual presidente do Grêmio. Para o Grêmio, o melhor é a continuidade do trabalho do técnico, independentemente de quem for o presidente. Está na hora de o Grêmio pensar em trabalho em médio e longo prazo.

ENGANADORES – Na cultura brasileira, a malandragem tem raízes bem profundas e consegue sobreviver aos tempos. Embora haja combate intenso por parte de boa parte da população, não aceitando situações, está difícil erradicar esta doença do nosso convívio. Todo dia, deparamos com situações e personagens que insistem nesta prática desleal. No futebol não é diferente. São jogadores que simulam ter recebido faltas violentas quando, na verdade, nem sequer foram tocados. Chegamos ao extremo de o jogador Leandro Damião, do Santos, puxar a própria camiseta, tentando induzir o juiz ao erro que beneficiaria o seu time com a penalidade máxima. Está na hora de o eficiente, magnífico e todo-poderoso Dr. Paulo Schmitt, procurador-geral do STJD, levantar estas situações e puni-los. Afinal, são jogadores ídolos de uma imensidão de pessoas, entre elas crianças e adolescentes, que amanhã, pelo exemplo recebido, protagonizarão as mesmas cenas.

SELEÇÃO COM CARA DE SELEÇÃO – O trabalho de Dunga começou promissor à frente da seleção brasileira. A “canarinho” voltou a ter “cara” de Brasil nos dois últimos amistosos, principalmente no jogo contra a Argentina, nosso maior adversário. Dunga tem o perfil exigido para recolocar a seleção brasileira nos trilhos, mesmo que a imprensa do centro do País não queira.

TÍTULO – Faltando dez rodadas para o final e com seis pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o Cruzeiro ainda tem situação confortável neste Brasileirão. O que não é confortável para a equipe mineira são os seus últimos resultados, com três derrotas consecutivas. Se tiver outro tropeço, amanhã, contra o Vitória, no Barradão, a confiança vai ficar abalada. Podemos ter a reta final quente na disputa do título, que parecia já definido.

REBAIXAMENTO – Estima-se que, para fugir do rebaixamento, seja necessário somar em torno de 42 pontos. Hoje, pela matemática, estão fora do risco equipes situadas da 8ª posição (Fluminense) para cima. Botafogo e Coritiba, pelo pouco futebol que vêm apresentando, colocam-se como favoritas à queda.

RODADA QUENTE PARA A DUPLA GRE-NAL – O Internacional sonha em estreitar mais a diferença que tem para o Cruzeiro, hoje de seis pontos. Para que isso ocorra, obrigatoriamente, terá de vencer o cambaleante Corinthians, amanhã, 16h, no Beira-Rio, e torcer para o Cruzeiro não vencer o Vitória. O Grêmio almeja dormir no G-4 ao término desta rodada. Terá de vencer hoje, 18h30min, a “touca” do Goiás, no Serra Dourada, e torcer para a imprevisível Chapecoense parar o Atlético-MG, no Independência. Com derrota do São Paulo, o Grêmio também, vencendo o seu jogo, tem chances de entrar no G-4. Mas aí dependeria do critério do saldo de gols, hoje com ampla vantagem dos paulistas.