Dois toques

0
107

SANTO ÂNGELO X INTER-SM, jogo antecipado para esta sexta-feira, 20h30min, no Estádio da Zona Sul. Somente a vitória poderá abrandar um pouco as coisas para o lado da Zona Sul, após a derrota sofrida no último domingo para o Riopardense.

O MEIO CAMPO de qualquer equipe de futebol é o setor determinante para o equilíbrio do time, independente do modelo tático. Se este setor não tiver aplicação e acima de tudo, inteligência para fazer o time jogar, executando a transição defesa/ataque com qualidade e rapidez, dificilmente os espaços irão aparecer. Disciplina tática, rapidez (sem ser precipitado) e inteligência para fazer a leitura do jogo são fundamentos básicos para abrir o caminho da vitória.

TURBULÊNCIA – Se dentro de campo a equipe não está obtendo os resultados que o torcedor espera, pior é a situação fora das quatro linhas: são dívidas intermináveis, bloqueios de
ativos do clube pela justiça e agora (segundo o que se comenta nos bastidores), a eminente renúncia do presidente Vando.

SUPERAÇÃO – Com presidente, sem presidente, atolado em dívidas , enfim, todo este “rosário” de problemas tem que ficar relegado em segundo plano e focar no jogo contra o Inter-SM. Sei que é difícil desvincular uma coisa da outra. Mas, não tem outro caminho. Missioneiro cresce na dificuldade. Se não der para superar com a técnica, vamos usar a garra e a raça, inerente deste povo!

BATATA NO LUGAR DE RAUL NA ASAF – Após quatro rodadas sem vitória, com dois empates e duas derrotas, o técnico Raul não é mais o treinador da equipe santo-angelense. Em seu lugar assume o treinador BATATA, conhecido dos santo-angelenses, ao qual desejamos muito sorte. Competência ele tem. E precisará desta competência já neste sábado à noite, quando enfrentará a equipe de Cachoeira do Sul, fora.

O treinador Batata é uma espécie de “Celso Roth missioneiro”. Quando a coisa aperta ele está sempre pronto e assumindo situações encardidas.

PATROA DESCONFIADA – Santo Ângelo é muito forte na modalidade bocha. Todos os clubes sociais têm uma cancha, associações de bairros tem cancha, enfim, em todos os lugares o jogo de bocha é muito apreciado. Um dos campeonatos mais tradicionais é o dos comerciários, há muitos anos, promovido pelo SESC.

Era uma manhã de segunda-feira (anos 90), 8 horas, quando um colega de SESC recebeu ligação telefônica. No outro lado, voz de mulher, nervosa, perguntando:

– Me diga uma coisa moço, o campeonato de bocha de “vocês” teve jogo ontem de noite (domingo)?

O colega percebendo a situação, disse: quero dizer para a senhora que a nossa cancha de bocha fica à disposição das equipes todos os dias.

– Mas domingo à noite também, até as 5 horas da manhã de segunda-feira?

– Às vezes alguns jogos de trio ou quarteto duram mais de 4 horas…

– Quem é do SESC que estava acompanhando estes jogos?

– Não sei, eu estava de folga neste final de semana. Além disso, jogo de bocha é muito tranquilo, não precisa ter alguém acompanhando… .

– Se o *##@*** do meu marido pensa que me engana, está muito enganado!

Para esclarecer: o campeonato começou um mês depois do episódio.