Dois toques

0
104

PARA NÃO TROCAR DE METAL, a ASAF começa hoje a sua corrida do ouro, enfrentando a equipe da ASSAF de Santa Cruz do Sul, às 20 horas, no majestoso Ginásio Professor Marcelo Mioso. Se quiser se manter na divisão mais valiosa do futsal gaúcho, a equipe missioneira, obrigatoriamente, terá que fazer o dever de casa e vencer não somente este jogo, mas os três da qual será mandante. Ainda, para tornar a missão um pouco mais árdua, terá que buscar pontos fora de casa. Mas tudo começa por hoje, por este jogo. E é assim que o treinador Batata, jogadores, comissão técnica e todos os protagonistas da ASAF precisam estar focados.

PROJEÇÃO – Para se manter na Série Ouro é necessário fazer 12 pontos, dos 18 possíveis. Daí, reforça a ideia que não pode perder pontos em casa. Lembrando que das quatro equipes que iniciam hoje a disputa do “Torneio da Morte”, as duas de melhor aproveitamento permanecerão na Série Ouro e as duas últimas colocadas cairão para a Série Prata. Então, hoje somente interessa a vitória. E o torcedor precisa apoiar a equipe, comparecendo em bom número no Marcelo Mioso hoje à noite. Levamos tanto tempo para recolocar uma equipe santo-angelense na elite do futsal gaúcho que não podemos imaginar perder este lugar que é nosso, que é da ASAF.

GRENAL HISTÓRICO – O primeiro GRENAL na Arena Grêmio acontece amanhã, às 16 horas, com a participação das duas torcidas. O assunto GRENAL sempre domina o imaginário de todos, gremistas ou colorados. Mas, os fatos extracampo se destacaram nesta semana. Primeiro a decisão da Brigada Militar e do Ministério Público querendo que apenas a torcida do Grêmio pudesse assistir o clássico, o que seria um absurdo histórico, um retrocesso. Depois, diante do clamor da comunidade gaúcha, voltaram atrás, possibilitando aos torcedores colorados de também assistirem o clássico, mediante algumas medidas de segurança. Futebol é espetáculo, é congraçamento, é alegria e deve servir apenas como meio para integrar mais as pessoas. Quem não sabe respeitar as regras de convivência e do bom senso é no mínimo marginal. E estes não podem ocupar os mesmos espaços de convivência de pessoas de bem. Normalmente, são “figurinhas carimbadas” que deveriam ser banidas dos estádios.Pelos menos até se reeducarem para o convívio sadio.

FAVORITISMO – Em GRENAL nunca haverá um favorito. O que existe é algumas teorias em detrimento do momento de cada um dos clubes, da evolução técnica e tática de cada equipe.

No Grêmio, ainda não se viu nenhuma evolução da equipe com a troca do Luxa pelo ídolo jogador Renato. Ainda mais agora com a confirmação da lesão do Zé Roberto, aprofundando ainda mais o problema da ZÉDEPENDÊNCIA do Grêmio. Já o Internacional vive um melhor momento e poderá contar com a DALEDEPENDÊNCIA para conquistar o resultado positivo.

Em GRENAL o fator local tem peso relativo. Ainda mais, quando os dois lados querem escrever um novo capítulo da história deste clássico centenário, agora na fantástica ARENA GRÊMIO! Bom GRENAL a todos.