Conjugação do verbo ver e vir no futuro do subjuntivo

0
87

A conjugação do verbo ver e do verbo vir no futuro do subjuntivo gosta de complicar e de fazer muitos falantes – aqueles que falam e escrevem em português – errarem no dia a dia e também no dia do concurso. A conjugação do verbo no futuro do subjuntivo requer na frente do verbo conjugado a presença do pronome pessoal reto e na frente desse pronome a presença da palavra se ou quando. A lista dos pronomes pessoais retos é esta: eu, tu, ele, nós, vós e eles. Fica no lado do ele também ela e você. E no lado de eles fica elas e vocês.

Dois exemplos com o verbo ver: Se eu vir que não vale à pena, desisto da campanha. Quando eu vir que não vale a pena, desisto da campanha.E dois exemplos com o verbo vir: Se eu vier mais cedo, não estranhe. Quando eu vier mais tarde, não estranhe também. Há uma tendência vulgar, popular, de substituir, nesse futuro, vir por ver. Dois exemplos vulgares, populares: Se você ver o Pantanal queimando, não se apavore. Quando você ver a Amazônia em chamas, não se escalpe. Substituição ainda inaceitável em nível culto, de modo especial em concursos. Essa alteração, porém, já tem largo uso na linguagem culta não policiada. Um dia…

Um sinônimo do verbo ver é enxergar e do verbo vir é chegar. Como o falante pode fazer para não trocar se eu vier por se eu vir, quando eu vier por quando eu vir? A resposta quádrupla é simples. A primeira está em o falante saber conjugar de ponta a ponta o verbo, qualquer verbo, no pretérito perfeito do indicativo. A segunda está em o falante saber que o futuro do subjuntivo do verbo, de qualquer verbo, sai da segunda pessoa do singular do pretérito perfeito. A terceira está em o falante saber que a segunda pessoa do singular do pretérito perfeito sempre tem ste. E a quarta está em o falante tirar o ste e colocar depois da vogal que está logo antes do s do ste o r. E feito e sabido? E feito e sabido.

Assim, eis a conjugação do verbo ver no eu e no tu do pretérito perfeito do indicativo – eu vi, tu viste. Caindo fora ste de viste, sobra vi, vi recebendo r, forma o futuro do subjuntivo do verbo ver, cujo vir permanece inalterado do eu ao eles – se/quando eu vir, se/quando tu vires, se/quando ele vir, se/quando nós virmos, se/quando vós virdes, se/quando eles virem. Eis o pretérito perfeito do verbo vir: eu vim, tudo vieste, ele veio, nós viemos, vós viestes e eles vieram. De tu vieste caindo ste, sobra vie, que, com r depois do e, forma o futuro do subjuntivo –se/quando eu vier, se/quando tu vieres… Este assunto segue na semana que vem e noutras duas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here