Dois exemplos de erros de comparação mista no texto

0
112

Aquele que escreve ou que fala deve evitar, em grau máximo, comparações mistas feitas, muitas vezes às pressas e sem revisões próprias e necessárias, no texto que escreve ou no texto que fala. Cabe, antes do depois, a observação de que no século XX, ainda pelo mais do que pelo meio dele, o nome texto só podia ser dado quando escrito. Depois, e agora no século XXI, o nome texto é também dado quando falado.

Posto isso, observe-se, portanto, este primeiro exemplo de frase verbal que tem uma comparação mista: Meu primo é tão forte, se não mais forte, do que o seu. Em princípio, a frase, se olhada de modo rápido e sem revisão gráfica, gramatical, parece ser correta. Mas, quando olhada de modo um pouco mais demorado e com revisão gráfica, percebe-se um erro de comparação mista. A palavra tão exige depois dela, na mesma parte da frase ou noutra parte da frase, a palavra quanto, quão ou como. Escolhe-se dessas três palavras sinônimas a que fica, no caso da frase de quem na hora a escreve ou fala, como também nessa, a palavra mais adequada. Assim, pois, fazendo dessa frase com a comparação mista errada esta frase com comparação mista correta, gramatical, a frase correta fica escrita ou dita, então, desta forma: Meu primo é tão forte quanto, senão mais forte, do que o seu.

E serve como segundo exemplo de frase com comparação mista esta frase: Os princípios envolvidos na fotografia são mais ou menos como o olho humano. Essa frase, olhada num primeiro lance, num lance rápido e despida de revisão gramatical, mostra-se até bonita e entendível no que diz. Olhada, porém, sob o óptica mais ampla e de nível culto, nota-se que há um erro de comparação mista presente na segunda parte da frase. Você, como é inteligente e estudante também das coisas de português, notou qual a palavra que posta na segunda parte da frase comete o erro de comparação. A frase em tela não compara os princípios envolvidos na fotografia com o olho humano, mas compara os princípios com os princípios.

Assim, portando, fazendo-se a frase com erro na comparação mista uma frase sem o erro esse, a frase com a repetição da palavra chave comparativa fica escrita ou dita deste modo: Os princípios envolvidos na fotografia são mais ou menos como os princípios do olho humano. E sem a repetição da palavra comparativa, esta substituída pelo pronome anafórico, fica escrita ou dita assim: Os princípios envolvidos na fotografia são mais ou menos como os do olho humano. É bom e faz bem a quem escreve e a quem fala elaborar bem as frases, inclusive no campo das comparações mistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here