Concepción de la sierra – a mãe de nossa redução

0
139

 Ao conhecer a pequena cidade de Concepción de La Sierra, localizada a cerca de 50 km de San Javier, meus primeiros sentimentos foram de surpresa e encantamento. Ali estava, materializado nas pedras e outros remanescentes, o nosso passado comum. Da antiga redução de Concepción de La Sierra, no distante século XVIII, originara-se Santo Ângelo Custódio. Portanto, eu estava pisando o solo daquela que foi a “mãe da nossa redução”.

Concepción, fundada pelo padre Roque González em 8 de dezembro de 1619, também passou por um processo de decadência, em função da expulsão dos padres jesuítas, das guerras e dos saques que se procederam na região. Hoje, o município encontra-se num processo de recuperação e valorização, não só do patrimônio material existente e disperso pelas propriedades, como do patrimônio imaterial relacionado ao período guarani-jesuítico.

Ao caminhar pelas ruas que ficam no entorno da atual praça, conversando com o professor e pesquisador da localidade, senhor Pablo Babi, foi possível perceber o quanto ainda sobrevive daqueles tempos. O que mais surpreende é a imagem da santa sem a cabeça (conforme hipótese do estudioso, seria a imagem de Nossa Senhora Concepción). Ela esta exposta bem no centro da cidade, ao lado daquele que, apesar de algumas modificações, é tido como o prédio do antigo cabildo. Nos fundos do pátio dessa construção, pude ver, um pouco encoberto por gramíneas, o piso original, da época da redução.

Ao realizar um passeio por todo esse “lugar da memória”, fui escutando, atentamente, as descrições e informações do senhor Babi, um apaixonado e curioso investigador dessa História, responsável pela descoberta e divulgação de muitos dados, antes desconhecidos. Foi ele quem me mostrou o local de um poço da redução, ainda existente nas proximidades da praça, feito e revestido com pedras, conforme o sistema construtivo do período. Além disso, não é difícil de se notar as pedras e a reutilização das antigas habitações dos índios, nos prédios atuais, relembrando, a todo o momento a experiência missioneira ali desenvolvida.

Conforme me foi relatado, o município está buscando inventariar e, se possível, colocar o material que se encontra espalhado pelos pátios das casas, no museu local, juntamente com o precioso acervo que já foi recuperado e está exposto. Nesse sentido, um outro objetivo, é trazer para Concepción de La Sierra imagens de santos originários da antiga redução e que estão dispersos e custodiados por outros municípios. Como se vê, não temos, apenas, uma memória e uma identidade comum, ao que parece, Santo Ângelo e Concepción, estão vivenciando uma fase de conscientização e valorização de seu patrimônio cultural ligado à História das Missões.