Deputado Osmar Terra e secretária Preta Belinaso numa saia justa por conta da UPA

0
157

A demora da abertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Bairro Pippi, tem criado uma situação de constrangimento e desinformação, que merece ser esclarecida. A implantação da UPA foi definida com o ex-secretário estadual de Saúde, deputado Osmar Terra, quando era sua chefe de Gabinete a atual secretária municipal de Saúde, Preta Belinaso. A UPA, como se sabe, é um programa de responsabilidade do Governo Federal, mas gerido pelos governos estaduais.

Aos municípios, cabe, além do esforço político, a doação da área e a gestão do empreendimento, depois de implantado.

UPA padrão 2

Ocorre que foi a equipe da Secretaria Estadual da Saúde que definiu e anunciou, em 2010, a construção da UPA de padrão 2 em Santo Ângelo. Posteriormente, o projeto foi assumido pelo atual governo estadual, e o secretário Ciro Simoni priorizou Santo Ângelo.

Agora, no momento de colocá-la em funcionamento, algumas vozes da Administração Municipal, lenta em assumir sua responsabilidade, alegam que houve um “erro” e que o município, pelo porte, deveria ter recebido uma UPA tipo 1, que tem menor custo e presta menos serviços. Até poderia ser… Com a palavra, a secretária municipal de Saúde, Preta Belinaso, então chefe de gabinete do secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, que definiu a implantação de uma UPA tipo 2 no município.

Empresário Heitor Müller alerta para a baixa qualidade da educação no Estado

O empresário Heitor Müller, durante palestra no Tá na Hora da Acisa, na quarta-feira (31), alertou sobre o problema da educação no Rio Grande do Sul. Segundo o empresário, a nossa educação básica está cada vez mais fraca, ficando em quarto lugar comparado a outros estados brasileiros, assim como o ensino fundamental, em sexto lugar. As deficiências apontadas pelos empresários estariam em todas as disciplinas, mas principalmente no português e interpretação de textos. Müller revela que o desafio tem sido cada vez maior para o Senai ao trabalhar com esses alunos, tendo em vista que precisam ensinar o inglês para que possam entender manuais de equipamentos de última geração e até mesmo conhecimentos gerais na área de informática.

César Ifarraguirre sobre a sua saída do PP: “Nunca imaginei que o sofrimento da vitória seria infinitamente maior que a dor da derrota”

Após a desfiliação do médico Cláudio da Luz do Partido Progressista (PP), esta semana foi a vez de outro conhecido progressista anunciar a sua saída do partido, César Ifarraguirre. Logo após ter tomado a decisão, César falou ao portal Rádio Cidade, explicando os seus motivos. Abaixo, uma síntese da entrevista concedida a Jairo Ferreira:

O que levou o senhor a tomar esta decisão de se desfiliar do PP?

Uma série de fatores, mas o principal deles foi o meu desalento em relação à continuidade no partido. Nestes dez meses, com muita paciência, estive apenas uma vez no gabinete do prefeito para levar a seu conhecimento um problema ligado à prefeitura. Sempre estava ocupado, viajando ou em reuniões.

Poderia citar algum ou alguns destes fatores?

Vou resumir apenas em uma frase: nunca imaginei que o sofrimento da vitória seria infinitamente maior que a dor da derrota.

O senhor sai magoado com o atual prefeito ou algum membro do partido?

Tenho grandes amigos dentro do partido. O próprio prefeito é um deles. Aborrecido seria o termo ideal, porém, sem ressentimentos. Óbvio que não concordo com algumas decisões tomadas, mas tenho que respeitá-las. Minha consciência não permite participar a mesma opinião.

E o seu futuro político? Tens algum partido lhe esperando? O senhor é um homem bem relacionado, carismático, por que ainda não entrou para a vida política?

Não estou pensando nisso por enquanto. Tenho amigos em todos os partidos. De fato, nunca pensei em me candidatar. Para deputado não dá mais tempo (risos) quem sabe na próxima não me arrisco a concorrer a vereador ou a vice. Na vida tudo é possível.

Caderno do Bairro Pippi evidencia as potencialidades da zona Leste

Quem leu o caderno do Bairro Pippi, publicado na edição de quinta-feira (31), do Jornal das Missões, pôde conhecer diferentes aspectos da maior concentração urbana de Santo Ângelo. Essa região da cidade, que recebeu imigrantes europeus de diferentes pontos do Estado, tem um papel estratégico no desenvolvimento do município, abrigando 1/3 da população e sediando empresas dos mais diferentes setores. Além da questão econômica, o bairro preserva sua história e cultura, assim como belezas naturais evidenciadas no caderno. Parabéns à comunidade do Bairro Pippi.

Comunidade quer melhorias no Cemitério Roque Gonzales

Durante cobertura do Jornal das Missões sobre os preparativos para o Dia de Finados no Cemitério Roque Gonzales, várias familiares de entes queridos sepultados no local se dirigiram à nossa reportagem reclamando de problemas pontuais no Cemitério Roque Gonzales. Uma das reclamações seriam em relação à segurança do local, que anteriormente era realizada 24 horas e agora funciona apenas à noite. Outro apontamento é a precariedade dos passeios públicos nos corredores do cemitério. Calçadas esburacadas e rachadas colocam em risco as pessoas que passam no local, em decorrência de tropeços, principalmente idosos, crianças e pessoas com dificuldade de locomoção.

Pela paz no trânsito

O motorista padrão do Brasil, Adão Fortes, continua recebendo manifestações da comunidade para que continue seu trabalho de educador do trânsito. Segundo Adão, é possível reverter o quadro de violência no trânsito sem tecnologia e sem grandes custos, através da educação e conscientização da criança, que sempre foi seu alvo.

“Desde 1990 venho percorrendo um considerável caminho em escolas, entidades e firmas. Não sei se já poderia falar em resultados desta peregrinação, mas de uma coisa tenho certeza: só será através da criança que vamos reverter o quadro crítico que vive o país hoje”, afirma.