Vinte e quatro dicas para apresentação de TCCs

0
106

Nesses meus anos como professor, costumo enviar aos meus orientandos de TCC um rol de vinte e quatro dicas para a apresentação do trabalho. Como sei que muitos dos meus leitores no Jornal das Missões estão cursando sua graduação, hoje compartilharei tais dicas, as quais, sublinho, partem tão-somente da minha percepção pessoal sobre apresentação de monografias.
Espero que estes apontamentos, eminentemente práticos e básicos, sejam de alguma utilidade – já que cansei de ver alunos tremendo feito taquara ao vento diante de mim.

Sem mais, é o seguinte.

1ª) Você dá boa tarde/boa noite a todos os presentes.

2ª) Você saúda a banca, professor por professor, qualificando os mesmos de acordo com a titulação, sendo costume fazer saudação especial ao orientador.

3ª) Você saúda os colegas monografistas.

4ª) Você saúda os demais presentes.

5ª) Você fala da temática do seu TCC.

6ª) Você diz da pergunta/problema que tentou responder com o seu TCC.

7ª) Você fala que, para o desenvolvimento de uma possível resposta à pergunta/problema do seu TCC, o mesmo foi dividido em três capítulos (penso que mais de três capítulos, em sede de graduação, é sinônimo de suicídio).

8ª) Você fala a temática de cada capítulo a partir dos títulos (não dos subtítulos). Lembre-se: você não está dando uma aula, mas apenas apresentando um resumo de tudo quanto pesquisou.

9ª) Você diz que, tendo em vista esse panorama geral do TCC, o primeiro capítulo trata de tal ou qual assunto (pode abordar os subtítulos).

10ª) Após isso, você fala dos assuntos atinentes ao segundo capítulo.

11ª) Por fim, dos assuntos levantados pelo terceiro capítulo.

12ª) Nessa exposição, procure relacionar os três capítulos, estabelecendo eixos lógicos que liguem um ao outro. Isso é essencial, pois versa sobre a estrutura do seu trabalho.

13ª) Derradeiramente, você diz da conclusão à qual chegou ou não com o TCC, referindo se esta respondeu ou não à pergunta/problema que você se propôs resolver com o trabalho.

14ª) Você agradece a atenção de todos e refere que está aberto a questionamentos e sugestões que possam vir a otimizar o trabalho.

15ª) Importante que você utilize o infinitivo impessoal em suas palavras de apresentação, não a primeira pessoa do plural – e muito menos a primeira pessoa do singular. Não esqueça disso.

16ª) Cronometre o tempo de apresentação em casa, o qual não pode ultrapassar quinze minutos (o recomendável é entre dez e quinze minutos, nem mais nem menos). Treine. Apresente para amigos, familiares. Fale na frente do espelho. Cuide sua postura e articulação de voz. Leve água para a apresentação. Procure dormir no dia anterior. Deixe a cerveja para os momentos posteriores à apresentação – inclusive, convide-me para a mesma: irei com gosto e goela.

17ª) Mantenha confiança na sua fala durante a apresentação. Não leve muitos materiais de consulta. Você não terá tempo. Sugiro que leve apenas o sumário acompanhado de algumas palavras-chave que disparem seu raciocínio na direção das temáticas.

18ª) Interessante que você escreva, apenas a partir do sumário, sem consultar seu texto, uma espécie de “dissertação breve” sobre seu TCC. Isso ajudará você na estruturação mental do assunto.

19ª) Caso queira, pode utilizar slides, desde que reserve o equipamento com antecedência e posicione apenas imagens ilustrativas e títulos gerais nessa apresentação. Ou seja: poucos slides.

20ª) Não é necessário estritamente ir com vestimenta social (terno, etc.). Importante é aparentar sobriedade e seriedade.

21ª) Não aconselho que convide muitos familiares/amigos para assistir a apresentação. Isso geralmente traz nervosismo, ainda que varie de caso a caso. Se você notar, ficamos mais nervosos na frente de conhecidos que de desconhecidos.

22ª) Jamais se limite a apenas ler na sua apresentação. Isso é extremamente brochante e simplesmente ninguém prestará atenção no que você fala. Além de tudo, dá sono e demonstra descaso e despreparo por parte de quem apresenta seu trabalho.

23ª) Respire entre suas palavras. Não fale nem muito devagar, nem muito rápido. Meio termo é essencial (bom uso do vernáculo, mais ainda).

24ª) Não surte: é apenas a apresentação de um trabalho acadêmico – sendo que professores, costumeiramente, não mordem ninguém (ao menos em momentos inadequados).