Califórnia

0
149

O jornalista Hunter S Thompson, autor de “Medo e Delírio em Las Vegas” e “Rum: Diário de um jornalista bêbado”, dentre outros livros, certa vez escreveu que a Califórnia era o Brasil dos Estados Unidos. E ele falou isso com a autoridade de quem morou um ano no Brasil e vários na Califórnia. E, justamente por ter essa atmosfera que tanto influenciou escritores, como o próprio Hunter, além de outros lendários autores da literatura norte-americana, como Charles Bukowski, John Fante e todo o pessoal da literatura beat, eu fiz questão de deixar por uns dias Nova York para conhecer o famoso lado Oeste da América.

Em poucos dias na Califórnia, mais especificamente em San Diego, já ouvi tantas histórias que renderia um livro misturando um pouco do estilo de cada escritor. Uma das mais inacreditáveis que ouvi foi a de um gaúcho da Serra que vendeu o carro por maconha. Ou, em outras palavras, ele fumou o carro. Na verdade, como já comentei em outros textos, os preços dos carros aqui são absurdamente mais baratos do que no Brasil. Enquanto na terra tupiniquim qualquer um que compra um carro um pouco melhor sai com pose de artista hollyoodiano, aqui ter um “carrão” é a coisa mais comum do mundo, então, ninguém liga tanto para isso, afinal, você compra uma BMW por 10 mil dólares e um bom carro por U$ 5 mil. É, amigo, às vezes penso que não é que aqui as coisas são baratas. No Brasil é que tudo é caro. E, numa dessas, esse gaúcho queria vender um carro velho que começava a dar problemas.

Após colocar alguns anúncios, ele recebeu a ligação de um interessado. Levando o carro até lá, rolou o seguinte diálogo:

– E aí, quanto você quer pelo carro?

– 700 dólares – não se apavorem, esse é o preço médio de um carro “velho”.

– Parcelado?

– Bah, aí não. Tem que ser à vista…

– Cara, eu não tenho dinheiro aqui… Mas se você quiser, tenho maconha.

O gaúcho coçou o queixo, refletiu por um momento.

– Quanto de maconha?

– 500 dólares.

– Fechado.

E, assim, o gaúcho fumou o carro. Segundo ele, o veículo rendeu uma maleta cheia de maconha que não durou muitos meses…

Mas, apesar de histórias como essa, mesmo na Califórnia há várias leis que tornam o estado mais “bagunçado” dos Estados Unidos mais rígido do que o Brasil. Por exemplo, aqui, como no resto do país, é proibido beber na rua ou no transporte público, é proibida a prostituição e os bares podem ser multados por “deixarem” o sujeito se embebedar. Isso mesmo, se alguém sai bêbado de um bar e comete algum delito, o bar também é responsabilizado por ter vendido a bebida ao sujeito. Enfim, a lista de leis e polêmicas (e histórias bizarras como a do gaúcho) é grande e rende boas discussões, mas, infelizmente, acabou o espaço.

Até a próxima!