Parabéns, Hector!

0
105

Como Santo Ângelo não tem grandes revelações no futebol de campo, tem que reverenciar as suas revelações nas quadras. Nesse sábado, liguei a TV no Sportv 2 e estava passando a final da Taça Brasil entre Atlântico de Erechim e Joinville. Quando menos espero, aparece o Hector com a camisa 10 do time de Erechim, que jogava em casa. Aquele mesmo Hector que já vestiu a camisa da Assoeva de Venâncio Aires, que já peleou pela Asaf de Santo Ângelo e que corria atrás da redonda conosco nos campinhos de futebol 7 do Clube 28, anos atrás.

Confesso que fiquei muito feliz em ver um cara da minha terra e que jogou bola comigo na minha adolescência (praticamente infância dele) e que, já naquele tempo, apesar da bola que jogava, era humilde, quieto e reservado. Até me atrevo a dizer que, dentre outros, ele não era o melhor daquela turma. Mas, possivelmente por seu caráter, foi mais longe que os demais, chegando ao futsal profissional e à decisão da Taça Brasil. Tinha gente mais habilidosa. Tinha gente com mais força física e com mais velocidade, mas creio que dificilmente tinha alguém com a disciplina e a humildade dele. Não fui nenhum amigo mais próximo, mas lembro claramente da sua postura nas peladas que disputávamos praticamente todos os dias no verão no Clube 28: não reclamava de faltas, não era “fominha” e jogava para o time, por menos que valesse o jogo.

Até lembro de um joguinho em que dei uma meia lua nele e acertei um chute no ângulo do goleiro matando a coruja. Ao cruzar por mim, ele apenas murmurou baixinho: “golaço”. Se fosse em qualquer um o drible, esse meu grande feito ficaria apenas no escaninho da minha memória, mas agora posso dizer publicamente que dei uma meia lua no craque do time campeão da Taça Brasil!

Mas o melhor de tudo, e que vocês devem ler na matéria sobre o jogo, é que o cara ainda fez o gol do título, jogando como goleiro-linha, e na prorrogação! É mole? Como diria o Macaco Simão, é mole, mas sobe! E mais ainda: sendo destaque no time campeão da Taça Brasil, o cara só pode parar na Seleção Brasileira!

Finalizando, creio que todo o pessoal, não só o do futsal, mas o do campo também, já tem em quem se espelhar daqui pra frente. E também acredito que muito da disciplina dele nas quadras veio da dedicação que ele tinha no tênis, pois lembro que o cara saia dos treinos do saibro pra jogar as peladas lá do 28. Enfim, parabéns ao Hector e a toda a sua família!

GRÊMIO – Desisti de ir ao jogo do Grêmio na quarta-feira. Teria que ficar dois dias a mais em Porto Alegre e, depois de ver o tricolor vencer o Cerâmica por 1 a 0, em casa, e com Marco Antônio sendo destaque, concluí que esse time não vale qualquer sacrifício.

NEW YORK YANKEES – Se tudo der certo, a partir de agosto passo a comentar, ao invés dos tropeços do Grêmio, os feitos do New York Yankees no chão batido do basebol. Let’s Go Yankees!

Hasta!