Surruadibundá

0
114

Vivendo e aprendendo. Aqui nos Estados Unidos estou aprendendo um pouquinho mais sobre a cultura brasileira. Dia desses apareceu um amigo americano dum dos caras que moram comigo. Ele estava empolgadíssimo com a Copa do Mundo, pois está indo para o Brasil com um casal de amigos brasileiros para assistir ao Mundial. E ele dizia “eu vou querer surradibunda”. Só que ele pronunciava os dois “rr” com sotaque americano, ou seja, enrolado. E ele também transferiu a vogal tônica para o último “a”. Então ficou: “surruadibundá”. E ele cantava e gritava “eu quero surruadibundá!”. E a gente se olhava tentando entender o que aquele gringo maluco queria dizer. Até que perguntei, em inglês:

– Essa palavra é em português?

– Claro! Surruadibundá!

E começava a dançar empolgadíssimo dizendo que assim que chegasse ao Brasil ele ia querer uma surruadibundá. Na dúvida, pedimos para ele explicar o que era surruadibundá. Ele apontou para a palma da mão e disse “bunda”. E nós prontamente corrigimos: “não, isso é mão”, ao que ele sacudiu a cabeça, impacientemente, dizendo “faz de conta que isso é uma bunda”. E então apontou para o próprio rosto e disse “face”. Ao que ele começou a bater com a palma da mão na própria cara dizendo “surrouadibundá!!!”. Ao que nós respondemos, num coro “ahhhhhhhhhhhhh, surra de bunda!”.

Então, cumprimos a nossa obrigação de brasileiros que ajudam os gringos que vão para a Copa e ensinamos a ele a pronúncia correta da surra de bunda. Mais tarde fui descobrir que se trata de uma música funk, por isso disse que aprendi um pouco mais da nossa cultura com os americanos que estão indo para o Brasil… Tu vês…

Sobre a Copa, os poucos americanos que encontro e que vão para o Mundial estão indo acompanhados de brasileiros – geralmente por medida de segurança. Muitos disseram que não vão pelas notícias, vídeos no youtube e postagens nas redes sociais sobre casos bizarros de violência – afinal, como digo, é só você abrir um site de notícias brasileiros e tem centenas de notícias de absurdos que acontecem pelo país, muitos deles inimagináveis para os americanos. Aliás, aqui acontecem crimes, óbvio, mas a quantidade e a frequência e a banalização da criminalidade no Brasil assusta qualquer um. Outros americanos dizem que não vão porque sabem da situação do Brasil e não concordam com os gastos absurdos em um país que tem tantas desigualdades sociais. Outros ainda desistiram do Mundial por considerarem abusivos demais os aumentos de tudo durante o mundial, desde passagens aéreas até hospedagem.

Eu, particularmente, assumo que não tenho opinião 100% formada sobre a Copa no Brasil – mas como amante do futebol, vou assistir aos jogos e torcer pelo time de Felipão como sempre fiz em todas as copas anteriores.

Os problemas e denúncias, todos sabem. A paixão do brasileiro pelo futebol, também. E o que vai acontecer, todos podem imaginar. Muita surradibunda pra gringo ver.