Dinheiro – onde e como investir o 13º salário?

0
122

 Final de ano chegando e com ele época de celebração, de rever familiares e amigos. Para muitos também a chegada do famoso 13º salário. Por conta dele, um valor próximo a R$ 85 bilhões circulará na economia, representando um peso próximo a 2,7% do produto interno bruto (PIB), de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Em média cada trabalhador receberá R$ 1.107,00 de 13º salário. Você já sabe o que fazer com o seu 13º salário?

1) Para quem possui dívidas

Primeiramente, para pessoas que possuem dívidas, a sugestão é quitá-las ou pagar pelo menos algumas parcelas delas. Não é saudável trocar o nosso conforto futuro por pequenos prazeres atualmente. A sugestão é trocar as dívidas de “pior qualidade” (com juros mais altos), por “dívidas melhores” (com juros mais baixos). Se tiver dívidas, separe a maior parte do seu 13º para quitá-las ou reduzi-las. Você sabia que algumas dívidas, como as de cartão de crédito, possuem taxas de juros que passam dos 250% ao ano?

Para melhor ciência, apresento abaixo algumas dessas taxas cobradas pelo mercado:

Taxas de Juros cobrados no mercado (mês) Taxas de Juros cobrados no Mercado (ano)

Crédito Pessoal Crédito Pessoal
1,9% a 5,6% ao mês 25% a 100% ao ano (!)
Cheque Especial Cheque Especial
5% a 8,3% ao mês 80% a 160% ao ano (!!)
Cartões de Crédito Cartões de Crédito
7,2% a 11,8% ao mês 130% a 280% ao ano (!!!)

 

2) Para quem não possui dívidas

Para aquelas pessoas que não possuem dívidas, sugiro aproveitar a vida da melhor maneira: viajar, conhecer novos lugares, rever amigos ao final do ano, celebrar, fazer aquele curso que desejava e não podia. Acredito que tudo isso é viver a vida! Sugiro separar um percentual em torno de 50% do valor do 13º para essas atividades. Para você que trabalhou e se dedicou o ano inteiro, nada mais justo que investir o 13º salário em si e ser recompensado. Nosso cérebro trabalha assim, se não formos recompensados, agraciados com um prêmio pelo nosso esforço, perdemos o prazer em realizar certas coisas. Merecemos o lazer como forma de retribuição. Inclusive há um livro do italiano Domenico de Masi, sob o título “O ócio criativo”, o qual orienta que para sermos mais criativos e termos um melhor aproveitamento em nossas atividades, devemos ter momentos de lazer, de ociosidade.

Também é importante lembrar que é no início do ano que o IPTU, e em alguns casos o IPVA, deve ser pago. É racional aproveitarmos uma parcela do 13º para realizar o pagamento destes tributos. Além disso, para quem tem filhos, o início do ano é época de pagamento da matrícula do colégio, compra de material escolar, sobretudo para quem estuda em colégio particular. Sugiro a utilização de 20% do 13º salário para esse fim.

Bem, restam 30% do 13º salário! O que fazer com ele? Sugiro começar investimentos de pequenos riscos. Hoje existem investimentos com o mesmo risco que a poupança, porém com rentabilidade 20% a 30% maior. E o melhor: com apenas R$ 100,00 pode ser iniciado um investimento! Esses investimentos podem ser os Títulos Públicos, Fundos de Renda Fixa, CDBs de grandes bancos.
O ponto vital é você pesar o que é mais importante: presentear as pessoas que gosta, gastar com comemorações de final de ano e réveillon, fazer uma viagem, realizar um sonho ou investir esse dinheiro?

De acordo com pesquisa retirada do Jornal O Estadão, 57% dos trabalhadores devem quitar dívidas ou pagar parte de parcelas atrasadas; 19% devem usar o dinheiro em consumo direto no Natal e final de ano; outros 12% devem guardar o dinheiro para pagar tributos, material e matrícula escolar em janeiro. E os 9% dos demais entrevistados ainda não possuem finalidade definida para o 13° salário.
E você, em qual parcela da pesquisa se enquadra?