Dividendos recebidos em 2011 ficaram acima da média dos últimos anos

0
129

Cada vez que alguém compra ações, torna-se sócio de uma empresa. Ao contrário do que alguns pensam, as oscilações das ações giram em torno de um valor intrínseco que está ligado diretamente ao que a companhia produz, a maneira como é administrada, aos lucros que possui e, principalmente, do fluxo de caixa que gera. O investimento em ações não é um jogo de aposta, sorte, mas capacidade, análise e estudos. Se a empresa tem uma boa administração, lucros crescentes e constantes, obviamente as ações irão ter uma maior procura, fazendo com que suas cotações aumentem.

Um dos privilégios de ser acionista de empresas que tenham boa administração e que gerem ótimos lucros é a parcela de dividendos de que ela é obrigada a dividir com os investidores. De acordo com a Lei 6.404, de 1976, é obrigação da empresa distribuir no mínimo 25% do lucro líquido total que tiver, em forma de espécie, ingressando esses valores diretamente na conta do investidor. Com o dinheiro na conta, restam duas opções ao investidor: retirar esse valor da conta e investir em outra alternativa ou aproveitar e comprar mais ações com esses dividendos, fazendo com que a bola de neve de seus investimentos cresça de maneira gigantesca, recebendo o auxílio dos juros compostos, onde cada nova ação comprada através desses dividendos irá receber mais dividendos, gerando um efeito cíclico gigantesco e com alto poder de valorização em uma carteira de investimentos.

Ressalte-se que existem pessoas que vivem de dividendos, tornando-os sua renda básica. Porém essas pessoas iniciaram cedo sua plantação, cuidaram desses investimentos, regaram comprando de maneira constante mais ações, reinvestindo os dividendos que ganharam, para após algum tempo colher o que plantou.

Um fato interessante acerca dos dividendos, foi que ano passado tivemos um crescimento de 5,4%, comparado com a média dos últimos 5 anos. Na tabela abaixo por Dividend Yeld, entende-se na prática que a cada R$ 100,00 investidos, R$ 4,80 voltariam sob a forma de dividendos, sem contar com a valorização da ação. Os 4,80% de dividend yeld no ano de 2011 referem-se à média de todas as ações do Ibovespa, sendo que algumas delas pagaram em torno de 20% de dividendos no ano passado, especialmente empresas de energia elétrica e de telefonia.

Segue abaixo a média de dividendos pagos nos últimos 5 anos e a comparação com a poupança e outras aplicações. Cabe ressaltar que no caso da Selic não está incluído o Imposto de Renda, que é decrescente de acordo com o tempo do investimento, cuja alíquota é de 22,5% a 15% acima de dois anos de investimento, percentual que incide sobre o lucro líquido da operação.

Comparação entre as remunerações

Ano Dividendo médio por ação Dividend Yield Selic Poupança
2011 R$ 0,97 4,80% 11,62% 7,5%
2010 R$ 0,63 1,95% 9,78% 6,81%
2009 R$ 1,38 2,12% 9,93% 6,92%
2008 R$ 0,81 1,86% 12,53% 7,90%
2007 R$ 0,80 2,93% 11,88% 7,70%
Fonte: Instituto Assaf

Agradeço ao amigo Eduardo Teichmann, pelo prestígio da leitura e sugestões sobre a coluna.

Bom final de semana para todos!