Imposto de Renda nos investimentos

0
127

Ao contrário do que a maioria acredita, o pequeno investidor tem maiores possibilidades de auferir retornos melhores que a maioria dos investimentos. Basta que alguns preceitos sejam respeitados, tais como: saber no que se está investindo; saber se o produto que a empresa vende tem aceitação no mercado; como a empresa trata o seu acionista minoritário; ter paciência; etc. Inclusive, Peter Lynch, um dos maiores gestores do mundo, chama atenção que ao comprar uma geladeira um consumidor pesquisa muito, inclusive “pechinchando” por descontos de R$ 30,00, R$ 40,00, enquanto que nos investimentos, o investidor não sabe as taxas de administração de seu fundo ou muitas vezes não sabe o que a empresa que investe produz.

Além dos fatores acima, em investimentos é fundamental ter ciência do imposto de renda sobre as aplicações financeiras. Ele incide sobre a rentabilidade líquida de um investimento, podendo ser descontado o custo de sua transação e realização, podendo recair sobre ativos de renda fixa e renda variável, nos quais existem regras e alíquotas diferenciadas. Você sabe a alíquota de Imposto que você paga em seus investimentos?

IR sobre ativos de renda fixa

Inicialmente, cabe realçar que investimentos em renda fixa são entendidos aqueles cuja remuneração ou retorno do capital pode ser dimensionado no momento da aplicação, segundo Sílvio Paulo Hilgert, coordenador acadêmico da Xp Investimentos. São exemplos de investimentos em renda fixa: Notas do Tesouro Nacional (NTN), Letras de Câmbio (LC), Certificado de Depósito Bancário (CDB).

Seguem abaixo as alíquotas de Imposto de Renda em ativos de renda fixa:

Período investimento alíquota
até 6 meses 22,50%
6 meses até 1 ano 20%
1 ano a 2 anos 17,50%
acima de 2 anos 15%

Base de cálculo: A base de cálculo do IR é a diferença positiva (lucro) entre o valor de venda do ativo e o valor de aplicação, líquido de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), se houver.
Responsabilidade: administrador do Fundo de Renda Fixa ou detentor do ativo.

Compensações: podem ser compensadas operações que resultaram em prejuízo, desde que em resgates posteriores.

Imposto de renda sobre ativos de renda variável

De acordo com Sílvio Paulo Hilgert, são ativos de renda variável aqueles cuja remuneração ou retorno do capital não pode ser dimensionado no momento do investimento. Exemplos: ações, ouro, contratos negociados na Bolsa de Valores e Mercadorias, etc.

Já alíquota é a que podemos verificar no quadro abaixo:

Período investimento alíquota
day-trade (comprar e vender no mesmo dia o ativo) 20%
independentemente do período 15%

Podemos notar que o investimento no mercado de renda variável possui uma alíquota de imposto de renda inferior a investimentos em renda fixa, independentemente do período a ser realizado o investimento. Em renda fixa a alíquota atinge proporções de 15% dos investimentos, em renda variável apenas a partir do segundo ano de aplicação.
Base de cálculo: a mesma que investimentos em renda fixa, exceto que inexiste IOF.

Compensações: também podem ser compensadas operações que resultaram em prejuízo, desde que em resgates posteriores.

Ótimo final de semana para todos!

“A persistência é o caminho do êxito.” (Charles Chaplin).