Breve relato histórico do Carnaval em Santo Ângelo

0
131

Os foliões do carnaval de Santo Ângelo estão em festa bem como do país inteiro. Confesso, não sou grande entusiasta com esta festa. Prefiro ficar no meu cantinho somente espiando o momento da alegria do povo. Como bicho curioso, para escrever a coluna de hoje, fui em busca de dados que realizei anos anteriores. E no momento relato e transcrevo o depoimento do Antonio José Rousselet :

“Os carnavais no Brasil e no Rio Grande do Sul, que surgiram a partir da década de 1930 eram pautados por 90% de marchas carnavalescas de tom vibrante e entusiasta, notadamente quando surgiu á música “ É de Zé Pereira”, marcha cantada com muita animação. Nossos carnavais no Rio Grande do Sul eram semelhantes aos da Argentina e Uruguai. Realizavam- se nos clubes, muitos animados, com danças de cordões e rodas. Pulava- se muito. As canções eram geralmente marchas. Formavam- se blocos, principalmente dos clubes. Havia “assaltos” de blocos carnavalescos nas casas de famílias, que eram obrigadas a dar uma festa com música. Havia um desfile pelas ruas, ao redor das praças. Participavam os blocos com carros alegóricos, bandas de músicas, clarins à cavalo. Chamava- se “O Corso”. Fantasias muito bonitas.

Para animar os foliões usavam lança perfume, serpentina e confete. Enfeitavam os salões de baile. Usavam máscaras. Durante um mês antes, eram bailes todos os sábados. No fim de semana que antecedia a terça- feira do carnaval eram quatro noites de folia, com matinés, em quase todos os clubes da cidades.”