O Vinte de Setembro

0
181

No ano de 1835, no dia 20 de setembro, o Cel. Bento Gonçalves da Silva, de acordo com os historiadores, entrou triunfalmente em Porto Alegre, capital da Província do Rio Grande do Sul, comandando tropas rebeldes, obrigando a fuga do presidente da província, Fernandes Braga.

Liberais contra os Conservadores dos "Farroupilhas" contra os "Caramurus", dos "Brasileiros" contra os "Galegos", dos "Maçons" contra os "Profanos", parecia ocorrer uma vitória definitiva. Mas, nada disso aconteceu, a luta continuou por 10 anos – O Decênio Heroico, como dizem os gaúchos até hoje. Os Farroupilhas proclamaram a Independência do Rio Grande do Sul, relativamente ao Império do Brasil com o nome da República Rio-grandense.

Os "Farrapos" instalaram a república por 9 anos e que serve de modelo para a própria República Brasileira, muitos anos mais tarde.
Relatam que precisavam de uma bandeira: simplesmente tomaram as cores brasileiras e separaram o verde do amarelo com a faixa vermelha da revolução. O brasão de armas como escudo do ideal republicano: os Maçons Rio-Grandenses lhes desenharam um inspirado na Revolução Francesa. A banda do Exército Imperial Brasileiro compôs a música do hino. Os três símbolos – Bandeira, Brasão e Hino – foram usados na campanha republicana brasileira, a partir de 1880, ocasião em que a velha bandeira tricolor farrapa que era quadrada, tornou- se retangular e recebeu ao centro o brasão de armas. São símbolos oficiais do Estado do Rio Grande do Sul e o 20 de setembro a sua data máxima.

A paz do Ponche Verde assinada em 28 de fevereiro de 1845 consolidou a brasilidade definitiva no Rio Grande do Sul.
Podemos observar na fotografia o monumento em construção para comemorar o Centenário da Revolução Farroupilha. O "Apogeu Farroupilha", com o busto de Bento Gonçalves foi inaugurado em 1935 na Praça Rio Branco, hoje Praça Leônidas Ribas
O seu Rousselet presenciou a inauguração do monumento "Apogeu Farroupilha".

Ele relata que tinha muitos políticos presentes, entre eles Ulysses Rodrigues. O monumento era grande, oco e a gurizada queria saber o que tinha dentro. Era um monumento vistoso, bonito e tinha uma placa de bronze. Após a inauguração, aos acordes da banda musical do quartel, eles seguiram em marcha na direção do quartel pela Marechal Floriano, chegando até a drogaria do Amaral, sobre o comando do maestro Thomas.