A confissão

0
140

 Chovia forte naquela tarde de outono quando Maria Joana entrou na igreja para se confessar. No lugar do padre lá se encontrava uma jovem e bonita noviça que lhe disse o seguinte logo após o seu relato.

– Não tenho a permissão de mentir, portanto vou te dizer tudo o que tu queres e precisas ouvir. Esse teu decote em V prova o que eu digo. Eles não são grandes, nem pequenos e sim do tamanho certo. Proporcionais a tua altura e peso, uma verdadeira delícia aos olhos masculinos. Sobre os teus pecados eu te digo que na verdade é tudo intriga da oposição. Têm outras que nem você. São damas bem vestidas que me contam suas façanhas em busca de perdão como se aquilo tudo que fazem fosse uma profanação. Bobagem, pois quando há sentimento e respeito tudo é permitido.

Garanto que há outros que gostariam muito de entrar nesse lugar pequeno, quente e apertado e fariam de tudo e mais um pouco para te fazer sorrir e ser mais feliz. Aí me pergunto como pôde aquele homem não te amar, respeitar e não te desejar todas as noites em cima de um móvel da sala de estar e ainda, te trair? É inadmissível, inaceitável e tu tens esse direito de encontrar alguém que te valorize que te trate bem. Gostar de si não é pecado. Pecado é gostar além do que se recebe em troca. Deixe-o, azar é dele e somente dele. Um dia e quando for tarde demais ele vai perceber o que perdeu.

Dessa forma, minha querida, não te condene. Seja perita e continue fazendo com este rapaz que está saindo o que o “oficial” não faz com você. Devolva na mesma moeda! Eu te abençôo. Continue indo aos shows de rock com ele, divida algumas doses de uísque no bar de sempre, enfim, viva a tua vida. Não há casamento, namoro ou semelhante que perdure quando não há o consentimento de ambas as partes. E tu estás mostrando que teus sentimentos não são correspondidos. Vá e lute, seja forte. Porém tenha cautela, há cobras que possuem venenos mortais. Tornei-me freira, mas ser Santa nunca foi o meu desejo.

Porém não deixe de acreditar nos caras legais. Eles são raros, mas existem e nem todos são iguais. São românticos e ainda com um adicional: são selvagens quando o assunto é quatro paredes e uma cama. Não permita que estas raridades se tornem um dia escritores, depois disso será muito difícil trazê-los de volta a este plano, pois nunca saberemos para quem e com que finalidade eles escrevem e o que querem atingir. Dizem que são escritores por terem passado por coisas terríveis. Contam-me, vez e outra, que foram caras legais no passado e que se negaram a virar babacas e que escolheram as palavras como forma de protesto. Tornam-se sádicos viciados em café à procura do amor perfeito, que não existe.

Última: falando em babacas, feito este que te traiu, estão por toda a parte. Eles pensam que nós somos como as vadias com quem se deitam uma ou duas vezes por semana no banco traseiro de qualquer carro. Estas também existem aos montes. Se tu negar teus sentimentos será igual a elas e um dia porventura poderá numa dessas ludibriar algum cara legal, lhe transformando num babaca ou num escritor, fazendo com que esta espécie acabe de uma vez. Agora eu vou te contar o meu segredo: eu decidi seguir os passos do Senhor porque pequei em não amar da forma que devia um cara legal e rezo todos os dias para que ele consiga encontrar uma garota legal que o faça largar o café preto e sem açúcar e a sua velha máquina de escrever.

Após este sermão, Maria Joana pediu as contas e quis o divórcio. Ninguém mais soube dela, dizem que está bem e muito mais feliz graças aos conselhos da jovem e bela noviça.