O preço da liberdade

0
104

Eu quero ser livre e daí? Ter meus casos e rolos assim de vez em quando sem ter um cara para me dizer o que é certo ou o que é errado. Se eles moram longe melhor ainda, pode restar no fim do dia um pingo de saudade, para que no outro ano eu repita a dose outra vez. Não sei se minhas amigas pensam desse jeito, mas eu estou bem assim e só de imaginar que em um determinado ponto da minha vida eu irei me arrumar para um único cara até o fim da mesma, me revira o estômago.

Não que seja feio, eu acredito no amor. E sei que um dia vou cair de quatro quando eu encontrá-lo, mas até esse dia chegar muita água vai passar por debaixo da ponte, ou não. Com essas coisas não se brinca. Mas eu nunca brinquei de amar, todos sabem do que eu gosto. A minha liberdade eu não troco por nada e eu prometo que mesmo no dia que eu estiver apaixonada serei livre e desimpedida para fazer o que eu tiver vontade. Se tentarem me prender será muito pior, pois eu já não estarei mais presente.

Eu vivi alguns amores num passado recente, quis ser de um homem só. Mas este mesmo homem não quis saber de mim, pensava que eu seria para sempre a sua amante. Não sou santa, quando eu disse que era? Não que eu seja uma puta, disso estou bem longe! Enfim, só que nessa vez eu me dei mal, me apaixonei de verdade, acreditava no que ele me falava e fui enrolada durante um bom tempo, então eu caí na real e vi que eu seria para sempre a segunda opção.

Isso tudo só me deu mais força para seguir na minha caminhada dando risada do que acontece. Não se apaixonem por mim, prefiro que eu me apaixone, pois eu sou capaz disso, sou bonita, morena e sim também sou gostosa e não paro por aqui, sou inteligente. Estudo Engenharia, viu só? Eu me amo! Me valorizo, embora existam outras que pensem que sou uma qualquer, mas inveja mata, é só isso o que eu digo! Também sei lavar a louça, cozinhar e tudo mais, eu tive e tenho mãe e fui prendada! Não sou uma moça feita para casar? Então?

A diferença entre eu e as outras gurias, é que sou mais exigente, eu acho. Pra mim o cara não tem que ser um grude, mas não tem que ser um cachorro. Meio termo está bom! Quero que me mandem cartas, rosas e tudo mais, mas que entendam que haverá dias que não vou querê-los por perto, me bajulando e adulando. Também gosto de ficar sozinha com as minhas coisas. Eu sei dividir, não que eu seja fria, pelo contrário, me acho muito quente por sinal. Mas minhas queridas, não façam como eu faço cada uma tem um jeito. Tem dias que eu me pergunto, se isso realmente vale à pena. Sim, eu tenho medo que um dia nenhum rapaz queira algo sério comigo, por eu ser desse jeito. Será este o preço da liberdade?

Se for este o preço pode ser que eu esteja perdida, mas minha vida é minha e de ninguém mais. Continuarei indo aos shows de rock, bebendo minha ceva no fim de semana. Tenho muitas coisas para estudar e se vou ficar sozinha ou não vai depender do tempo. Não tenho pressa. Por que já diz um velho ditado: a pressa é inimiga da perfeição!

O Blog Boemia Ilegal está completando um ano de existência neste mês. Dedico este texto para a primeira seguidora e leitora do blog, a minha querida amiga Verônica!