Trovas cretinas

0
116

Sem querer descobri do que tu gostas. Poesias ou flores não te emocionam. Elas te fazem brochar. Porém como sabes não posso mais realizar tal fetiche e, o que resta agora é somente repassar a informação. São essas trovas cretinas que te encantam. Quanto mais direto e objetivo o cara ser, melhor, nada de mimimi. Pra cima de ti isso não cola. Tu queres ouvir palavras fortes, mas não vulgares. Quer que te façam mulher.

Não importa a quantidade e sim a qualidade dessas trovas. Não são todos que são capazes de conseguir tal feito: fazer com que tu confesses que está pingando de tesão com uma conversa chinela pelo telefone. Somente aqueles casos raros te deixam torta de prazer. Não fiz parte deles, mas se não tivesse me encantado lá no começo eu poderia ter feito parte deste rol de seletos sortudos.

Sim eu queria sexo, sou homem como qualquer outro, mas abdiquei tal desejo por medo de repreensão e, não te vi como uma máquina sexual quando te conheci em meio a cervejas, violões e maçãs do amor num sábado à tarde. Porém eu me esqueci que as mulheres procuram por isso também. É natural, apenas uma leve inversão de fatores. Foi um erro crucial e imperdoável de minha parte, tive que me contentar com o pirulito, quando eu poderia, se não tivesse sido burro, afogar meus lábios por todo o teu ventre com mordidas e chupões. Paciência, não foi dessa vez.

A parte boa de não ter tocado o teu corpo é a seguinte: consegui descobrir tais coisas que alguns até hoje procuram descobrir de ti e, a cada dia eu descubro mais. Seriamos então uma perfeita dupla de amigos? Acho que sim! Tu permites isso é franca e sincera na conversa e, eu aprendi que devo ser do mesmo jeito, franco e sincero. Mas e os outros? O que sabem que eu ainda não sei? Diga-me eu quero saber. Tapas e arranhões eu já sei que tu gostas e, que tu gostas de falar aquelas palavrinhas mágicas ao pé do ouvido alheio: “agora eu quero por trás…” eu também já sei.

Mas eu ainda não sei tudo e, quem sabe nunca saberei. O que sei é que essas nossas trovas cretinas são boas, não levam a lugar nenhum a não ser a boas risadas no meio da madrugada. Vamos aperfeiçoando as nossas táticas para que possamos ser os melhores nessa arte chinela. Contando um ao outro o que fazemos e, o que já fizemos com as pessoas antes de sermos pegos pelo cupido. Até esse dia chegar, eu espero, poder saber o bastante e, ter compartilhado da mesma forma as nossas cretinices. Agora eu encerro usando palavras de um mago, que resume bem nossas trovas cretinas:

“Não poupamos nossas munições, planejamos estratégias para que a coisa aconteça, preenchemos tabelas com análises de risco […] Não estamos falando de amor, mas também não de promiscuidade. Estamos falando de democracia, de direitos, de experiências, de diversão, de saúde, de integração, de treinamento específico para o caso de precisarmos repovoar o planeta.” – Gabito Nunes.