A La Pucha: Polêmica desnecessária

0
202


A polêmica da semana envolvendo a votação de um projeto na Câmara de Vereadores foi completamente desnecessária. Primeiro, o projeto é uma adequação necessária à lei federal sobre incorporações salariais de servidores concursados. Ou seja, nada tem a ver com aumento de salários de vereadores ou servidores. Começa aí a distorção.

E quanto a definição como sessão secreta, bom, aí me parece que que ocorreu uma “licença poética”. A sessão foi realizada sem público e com alguns vereadores faltando devido às determinações resultantes no enfrentamento ao Covid-19.

Muita coisa pode ser criticada em relação ao legislativo municipal, mas neste episódio específico, ocorreu uma verdadeira lambança na interpretação e comentários injustos e maldosos nas tais redes sociais, aliás, muito mais utilizadas para isso do que para qualquer outro propósito.

Quanto ao projeto em si, correções precisarão ser feitas em sua formulação, pois é preciso estar em consonância com a legislação federal. O resto é forçar a barra e tentar encontrar pelo em ovo. Enfim, é um ano de eleição municipal e isso explica muito.

Já são quase 90 casos de dengue em Santo Ângelo e mais de cem em Cerro Largo. Embora todo o receio, justificado, com a pandemia do Coronavírus, não dá para descuidar da dengue.É preciso ter atenção e lembrar de algo essencial, o controle está nas nossas mãos mais até do que as medidas para prevenir o Covid-19.

Temos que ter consciência e agir evitando que os focos do mosquito transmissor se formem. A infestação acontece porque falhamos. Essa é a verdade.A rotina de limpeza e controle de possíveis focos é ação básica nesse momento.

Medidas contra a dureza

A questão do combate ao Covid-19 envolve muitos fatores, entre eles, os econômicos. E vai além da abertura ou não do comércio.

Os municípios sofrerão reflexos significativos em suas contas com a queda de receita de ICMS e ISS. O prefeito Jacques Barbosa disse ontem em entrevista ao colega Luiz Roque, que o cenário será muito complicado. O que deve amenizar é a garantia dos repasses de ICMS e do Fundo de Participação dos Municípios pelos valores estabelecidos antes da crise.

Jacques revelou, ainda que pode adiantar metade do 13º dos servidores municipais e que ainda está sendo discutida uma medida sobre o parcelamento do IPTU para beneficiar os contribuintes.

Sensibilidade dos governantes é algo que será decisivo num momento extremo como o que vivemos e ainda vamos viver.

Mudanças na Câmara

Com a saída de secretários municipais que pretendem concorrer nas eleições deste ano, muda também a composição da Câmara de Vereadores de Santo Ângelo.

Os pedetistas Everaldo de Oliveira e Adolar Queiroz deixam respectivamente as secretarias de Assistência Social e Obras para ocupar as cadeiras que conquistaram na eleição de 2016.

Com isso, os suplentes Valdonei da Luz e Lauri Juliani saem da Câmara.

  • Muitos leitores indagam sobre as escolas municipais e o retorno às aulas. Entretanto, é bom lembrar que o decreto do governador Eduardo Leite abrange todas as redes de ensino. Então, pelo menos até 30 de abril, tudo permanece como está.

 

  • Com as restrições comerciais, as empreiteiras também estão sofrendo para conseguir materiais. Diante das dificuldades, algumas obras estão paradas e sem prazo para a retomada.

“Se você acha a educação cara, experimente a ignorância”.
Derek Bok

Mais uma da série da contradição. Apoiadores exaltam os atos e as frases absurdas do presidente. Ao mesmo tempo, enchem de elogios o ministro Mandetta. São posições extremas, distantes anos-luz uma da outra.

 

  •  Deputados e senadores tem manifestado apoio à medida para que a União possa manter o piso dos Fundos de Participação dos Estados e Municípios com uma complementação relativa ao exercício anterior. Essa medida evitaria queda no orçamento e a consequente suspensão de serviços essenciais à população. E está correto,  recursos para os municípios não podem diminuir, pois isso afetaria o atendimento a população contra a pandemia.

 

  •  Está na hora do presidente fazer valer o lema que massificou durante a campanha eleitoral: “Mais Brasil e menos Brasília”, porque até aqui isso é apenas retórica.

 

  •  O presidente foi forçado a repensar as suas atitudes e “baixou a bola” no pronunciamento realizado na noite de terça (31). Entretanto, esse tipo de trégua já aconteceu antes e voltou a não demorar muito. “É da natureza de Bolsonaro”, procuram explicar seus defensores. Mas é preciso diferenciar natureza ou temperamento de intransigência e ignorância.

 

  •  O Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), anunciou a doação de mais de 70 mil litros de álcool etílico hidratado a 70% para ajudar no combate ao novo coronavírus. O produto será destinado ao SUS e aos órgãos públicos que, por sua vez, poderão doar estes produtos para as populações mais expostas.

 

  • Só no ano passado, os três maiores bancos privados do País: Bradesco, Itaú e Santander quebraram a barreira dos R$ 40 bilhões de lucro. Entretanto, nesse momento de extrema dificuldade, não se sabe de nenhum aceno significativo para ajudar no combate ao Covid-19.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here