A La Pucha: Tiro no pé

0
172

Ainda segue repercutindo na comunidade o baixo nível da campanha eleitoral em Santo Ângelo.  A estratégia de arrastar a disputa eleitoral para a lama não produziu o resultado esperado pelos responsáveis, muito pelo contrário, mas deve ser debatida e combatida, até para que não se repita em novos pleitos.

A maioria dos eleitores abomina essa campanha de fake news, ataques, distorções e manipulações. E isso ficou, mais uma vez evidenciado nas urnas. Isso apenas serve para deixar o debate em torno de propostas em segundo plano.  A conclusão é dolorosa, mas está claro que quem investe nesse jogo baixo o faz de forma meticulosa e proposital, por não ter um conteúdo digno para apresentar à população. É querer ganhar em cima dos supostos “defeitos” dos adversários e não dos seus méritos.

O que acompanhamos foi um verdadeiro show de horrores, de armações, de manobras rasteiras em larga escala, o que, sem dúvida, contribuiu para aumentar o desalento e o descrédito junto ao eleitor. O alto índice de abstenção está ligado a isso.

Entretanto, outros reflexos devem ser analisados. Quem agiu de forma tão detestável não prejudicou apenas o nível da disputa ou o adversário, mas colheu um resultado vexatório.

Perguntar não ofende 
Todos terão a capacidade de fazer a leitura correta dos resultados das urnas?

O ápice da baixaria

Já escrevi na coluna da edição de quarta-feira e repito,  anunciar as falsas desistências dos candidatos do PRTB e do PP foi a manobra mais baixa já vista no processo eleitoral de Santo Ângelo.

Essas publicações (fotos) dando conta do “apoio” de Nívio e Machado a Bruno Hesse foram veiculadas no início da noite de sábado (14), na véspera da eleição, visando confundir os eleitores e tumultuar a eleição.

O resultado foi a debandada de eleitores de Hesse para Nívio. Um fracasso retumbante de quem pensou que tinha produzido uma jogada genial. O autor de tal manobra não foi apenas extremamente maldoso, mas provou ser muito incompetente, também.

 

Tudo errado

Ao analisar o resultado das eleições em Santo Ângelo, também, fica claro o erro de estratégia do vice-prefeito Bruno Hesse. Militante do PDT por 30 anos, tendo sido secretário da Fazenda, vice-prefeito e presidente de duas edições da Fenamilho, Hesse jogou fora essa trajetória pelo desejo pessoal de ser prefeito. Simples assim.

A estratégia já mostrou-se completamente equivocada quando Hesse anunciou sua saída do PDT e não conseguiu levar consigo para a nova sigla nenhuma liderança trabalhista. Saiu sozinho. O segundo passo foi buscar abrigo em quem sempre foi seu adversário político e começar a atacar a administração municipal da qual é vice-prefeito. Ou seja, criticava o próprio trabalho. Passou a fazer oposição a si mesmo.

O eleitor, sábio, logo percebeu o malabarismo e não comprou a ideia. Uma confusão que apenas reforçou tratar-se de uma questão pessoal e não de um projeto coletivo.

Tentou ainda ser reconhecido por um apelido que nunca teve. O tal “Alemão do Hospital” foi uma tentativa patética de popularização que não emplacou, a não ser para virar chacota.

O pior foi Hesse ter permitido que a sua campanha descambasse para a baixaria, com fake news e manipulações, atraindo um desgaste ainda maior. O resultado não poderia ser outro que não uma rotunda derrota nas urnas.

 

Gaudêncio, o abobado

O Gaudêncio está apavorado. Todos sabem que ele é muito ingênuo e por acreditar em tudo ganhou o apelido de “abobado do rincão”.

Mas com o resultado das eleições, Gaudêncio lascou: “ainda tem gente que acredita no sommelier de intrigas e confusões que veio de Porto Alegre só pra isso e eu é que sou abobado? ”Tem razão!

Só para lembrar 

Não tenha dúvidas, continue usando álcool gel, lavando as mãos com frequência,
procurando manter o distanciamento e, sempre, usando máscaras, mesmo que algum idiota o chame de “maricas”. A prevenção ainda é a nossa maior segurança.

Jânio Bones retorna a Santo Ângelo

Meu amigo e compadre Jânio Bones está retornando a Santo Ângelo. Foram mais de 20 anos longe da Capital das Missões.

Depois de se dedicar e construir uma carreira elogiável no Banrisul, Jânio aposentou-se na gerência da agência de Uruguaiana.

Volta para a sua terra, deixando por onde passou inúmeras amizades e o sentimento de carinho de todos aqueles que conviveram com sua família.

Retorna com o conhecimento adquirido e as experiências vividas, certamente para compartilhar tudo isso com a sua comunidade, onde foi vereador, secretário municipal, professor e integrantes de entidades comunitárias e sociais.

Compadres Jânio e Marlise, sejam muito bem-vindos de volta à sua terra.

Para refletir
“Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências.”
Pablo Neruda

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here