A La Pucha: Transparência

0
454
Secretário Luis Carlos Cavalheiro alerta para a necessidade de uma consciência coletiva sobre o risco de contágio. Arquivo JM

O momento é delicadíssimo, especialmente pelo fato que está se enfrentando um inimigo poderoso e que não se tem a exatidão de como as coisas vão acontecer. Desta forma, o planejamento é feito em cima de indicativos e não de certezas, o que sempre torna as coisas mais difíceis. Todos temos consciência disso.

Embora esses percalços, que são enfrentados por gestores em todo o mundo, a transparência é essencial, não apenas para informar, mas também para orientar as pessoas.

Em Santo Ângelo, isso está ocorrendo. As autoridades jamais negaram ou esconderam informações. As coisas foram tratadas às claras desde o início. Mesmo quando Santo Ângelo não apresentava nenhum caso da Covid-19, o prefeito Jacques Barbosa e o secretário Luís Carlos Cavalheiro nunca deixaram de frisar que isso iria acontecer e que o Município deveria estar preparado. Diante disso, buscaram estruturar o setor público e até o próprio Hospital Santo Ângelo, com a compra de leitos e a articulação para a conquista de nove novos leitos de UTI.

E o secretário Cavalheiro, diariamente informa e orienta a população, tratando com absoluta transparência todas as situações.

O lamentável é a tentativa de uso político da pandemia, quase que uma torcida para o aumento no número de casos. Isso sim deve ser condenado.

 

No momento em que estamos vivendo e assistindo a atos quase que inacreditáveis, é tão simples perceber que o pior dos contágios é o do extremismo. Seja de qual lado for. Pena que muitos ainda não se deram por conta disso e seguem insistindo numa guerra que só tem perdedores.

 

Ação eficaz

Uma das situações que tem diferenciado Santo Ângelo e a região das Missões das demais em termos de combate a pandemia é o percentual de ocupação de leitos clínicos e de UTI. Nesta sexta, a ocupação dos leitos de UTI da região tinha o menor índice no Estado, com cerca de 48%.

E isso é resultado da ação direta do governo municipal, com a contratação de 15 leitos específicos para Covid-19 no Hospital Santo Ângelo e da conquista dos nove novos leitos de UTI, numa articulação que passou pelo prefeito Jacques Barbosa, deputado Eduardo Loureiro, secretário Luis Carlos Cavalheiro, coordenador regional de Saúde, Iury Zabolotski, entre outros.

 

Sol a Sol é cancelado

A edição deste ano dos Jogos Rurais Sol a Sol foi cancelada. O evento seria realizada junto com a 10ª Feeagri Missões, que também está sem data.

 

Turismo

O tema é sempre importante e algumas ações estão sendo preparadas para serem colocadas em prática após a passagem da pandemia.

O turismo é sempre citado como uma alternativa econômica importante e numa região como a nossa isso está claro. Entendo que está na hora da região retomar ou criar novos projetos que tenham a importância por exemplo do Rota Missões.

Ações específicas, bem planejadas e com abrangência direta não só nos nossos atrativos, mas na preparação daqueles que podem trabalhar diretamente com o turismo. Hotelaria, gastronomia, transporte, artesanato, tudo pode ser englobado, como já foi no projeto citado anteriormente.

O recomeço do setor na região pode ser por aí. O Rota Missões apresentou resultados muito interessantes, que podem até passar despercebidos mas que são essenciais para aqueles que atuam diretamente no setor.

 

 

Progressistas

Comentários de algumas lideranças progressistas de Santo Ângelo dão conta que crescem as manifestações em defesa de uma candidatura própria a prefeito.

Apenas indicar o vice é algo que não condiz com a grandeza do partido, argumentam justificando a sua posição.

Nomes como o do advogado Luis Clóvis Machado da Rocha, que como já foi citado nesta coluna, defende essa posição, e da ex-vereadora Lenir Diel, são citados como alternativas.

 

Antes a escória, agora companheiros. Essa é a nova política?

 

Renegando o centrão

Políticos, muitas vezes se colocam em situação muito constrangedoras. O deputado Ubiratan Sanderson, por exemplo, teve que falar como vice-líder do governo Bolsonaro e em entrevista concedida ao colega Luiz Roque, na Super Rádio Santo Ângelo, negou que exista negociação entre o presidente e o centrão.

Desconversou, afirmando que o presidente recebe a todos. Porém, e sempre tem um porém em tudo, é fato que Bolsonaro entregou o Banco do Nordeste e a presidência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) a apadrinhados de líderes do malfadado centrão.

Deve ser duro ter que negar o que é cristalino. E o FNDE tem um orçamento de quase R$ 30 bilhões. Sendo assim, sua presidência é um dos cargos mais cobiçados do governo federal e foi entregue ao centrão em troca de apoio, sem dúvida nenhuma.

 

“Os olhos são inúteis se a mente é cega”
Oscar Wilde

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here