Gente & Negócios: Grupo Uggeri instala 4 usinas fotovoltaicas

0
222
Prédio sede do Grupo Uggeri no centro de Entre-Ijuís. Foto: AI Uggeri/Divulgação

O destacado Grupo UGGERI, com sede em Entre-Ijuis, instalou quatro usinas voltaicas em sua Matriz (foto), no Posto de Combustível no centro da cidade e nas unidades de recebimento de produtos em Eugênio de Castro e Caibaté. Mais uma iniciativa vitoriosa da empresa em seu projeto de sustentatibilidade.

– A empresa está comprometida com soluções que seguem a questão da sustentabilidade. Para aprovar esse projeto, fizemos todos os estudos necessários e a conclusão a que chegamos foi de que era uma alternativa viável para as empresas do Grupo. Aproveitamos uma fonte natural para a geração de energia limpa, além de contribuirmos significativamente para com o meio ambiente, disse-me o empresário ERNESTIDES UGGERI, diretor do Grupo Uggeri.

A estimativa é de que as usinas fotovoltaicas proporcionarão cerca de 80 a 100% dos gastos de energia elétrica nas unidades consumidoras de energia solar. UGGERI assegurou ainda que “a empresa pretende seguir com seu projeto e muito em breve deverá estar com todas suas principais unidades de recebimento de grãos operando com energia solar”.

CENTENÁRIO DO MEU PAI

SE vivo ainda estivesse, meu querido e saudoso pai FRANCISCO MARIA DA SILVA (foto), neste ano estaria comemorando seu Centenário de nascimento, pois que nasceu em 04 de março de 1920.

Ainda moço, ingressou no Exército e nos tempos da 2ª Guerra Mundial, integrava o Corpo da Guarda do então presidente da República, o também gaúcho e missioneiro GETULIO DORNELES VARGAS, no Palácio da Guanabara, no Rio de Janeiro.

Ao deixar os quadros do Exército voltou para o interior de Ijuí, hoje interior de Augusto Pestana, atuando como pequeno agricultor e comerciante, casando-se com minha mãe NOSTRATELINA, hoje com mais de 96 anos e com boa saúde, com a qual teve 11 filhos e filhas.

Neste dia dos pais faço este registro, como homenagem a ele que foi uma criatura que sempre admirei de forma muito especial, responsável pelo que sou, pelo que penso e pelo reencontro que sei, um dia acontecerá.

OS BEBÊS DA SANTA CASA

ESTA história, acompanhada pela estória da Roda das Crianças Rejeitadas, ouvi lá no início dos anos 50, do século passado, quando ainda bem garoto, madrugava para conversar e tomar mate antes do sol nascer com meus avós JOÃO VIEIRA DOS SANTOS e CONCEIÇÃO FAGUNDES DOS SANTOS, ambos nascidos na segunda metade do século XIX.

A sempre atual Santa Casa da Misericórdia de Porto Alegre, foi criada em 1803 com o nome de Hospital de Caridade, recebendo a atual denominação em 1814, vale dizer há mais de 200 anos.

Naquela época ficava numa colina, fora da cidade, a fim evitar contágios das pessoas nela recolhidos, como se vê na foto que é uma relíquia.

Meus avós contavam que em 1837 nela construíram uma “roda dos expostos”, na qual via de regra em plena madrugada, mães que por um motivo ou outro não podiam criar seus bebês, deixavam os recém nascidos numa janela/roda e tocavam um sino que estava ao lado e a disposição, alertando religiosas que moravam na Casa para que viessem recolher as crianças abandonadas, posteriormente encaminhadas para adoções.

Essa roda dos bebês abandonados existiu por mais de um século, somente sendo extinta lá por 1940, conforme registros que podem ser encontrados ainda hoje lá na Santa Casa, bem como já foi tema que apareceu numa das novelas da Globo, anos atrás.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here