Há homens e há Homens

0
128

 Os primeiros são da turma do “deixa disso”, o assunto é muito complicado, não adianta, vai mexer com gente grande, toda vida foi assim… e por aí afora… Os segundos, os homens com “H” maiúsculo, constituem uma espécie rara e em extinção. São chamados de loucos, que têm a mania de agarrar o boi pelas aspas, metidos e que querem aparecer. Na verdade são heróis, idealistas e que não suportam compactuar com coisas erradas, sobretudo quando se trata dos bens públicos e possuem espírito público arraigado. Sabem o que estão fazendo, possuem discernimento, são corajosos e não têm preguiça de lidar com a verdade, sejam quais forem os óbices. Seu patriotismo supera a tudo e os incita à luta, mesmo que pareça inglória e que oferece riscos…

Pois este é o estofo do dr. Osmar Veronese, que na segunda-feira recebeu, por outorga do Poder Legislativo Municipal, para maior glória dos seus novos co-munícipes, o Título de “Cidadão Santo-angelense”. Na verdade o nosso procurador da república vem intervindo na causa que considera sagrada, e o é de fato, enfrentando um “cipoal” de irregularidades que vêm sendo praticadas desde anos por gente que se considera acima da Lei, com incalculáveis prejuízos à Nação Brasileira. Trata-se de um contrato temerário e além disso não cumprido. Ninguém, além do nosso dr. Veronese, com seu acervo de conhecimento jurídicos, teria a coragem de enfrentar o “cipoal” de interesses, de desonestidades e de irregularidades, volto a repetir, qual um moderno David a enfrentar também o moderníssimo Golias, com as armas da competência e da verdade.

O fantástico progresso do nosso país com esse rodoviarísmo maluco, caro e impróprio, desde os confins da Amazônia e Brasil Central, nos torna reféns de qualquer concorrente vulgar, nas exportações de soja e comoditties em geral e entre outros países produtores-exportadores e o tempo urge, porque os prejuízos são exponenciais.

Precisamos com urgência de 10 “Veroneses” para enfrentar essa insania. Nossos filhos, netos e bisnetos estão na berlinda… e eu pergunto: ninguém percebeu isto antes? Digo mais, ninguém está vendo onde vão parar nossos nervos ante este “progresso”(?) desbragado que passa por cima da “movimentação urbana” não respeitando os espaços históricos consagrados sem pensar na frente?
Feito o estrago, nunca mais. Precisamos pois com urgência criar uma nova Liga de Defesa Nacional (ou aproveitar a antiga) em respaldo ou defesa urgente e por todos os meios do trabalho do nosso valente procurador, mesmo porque a natureza do seu cargo exige sobriedade, o que não evita que a verdade e o ônus sejam expostos à luz do sol para que os objetivos concretos sejam alcançados o mais breve possível sob pena de mais multiplicação dos efeitos.

Na próxima crônica vou trazer à baila um problema do passado que durou mais de 10 anos, cuja batalha final nós perdemos e cujos resultados até hoje nos corroem as entranhas: “O auto abastecimento do povo brasileiro, com trigo brasileiro”.