A vitória consagradora de Jacques Barbosa

0
32

O prefeito Jacques Barbosa está saboreando uma consagradora vitória nas urnas em cima de nada menos do que quatro candidatos que também tentaram, com legitimidade chegar à Prefeitura.

A disputa se desenhava difícil desde o início, mas o legado construído durante uma sólida carreira que começou lá na Câmara de Vereadores, o credenciava para a continuidade de um projeto de obras, que teve como marca, a abertura da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), cujo prédio estava abandonado e se deteriorando há mais de quatro anos.

Aliás, a insistência do prefeito Jacques em abrir a UPA, chamada impiedosamente de elefante branco por seus adversários, foi um marco visionário que salvou dezenas de vidas.

A unidade está hoje, superando, em larga escala, o número de atendimentos que são realizados no ambulatório do Hospital de Caridade. Vale uma reflexão: Você leitor, tire a UPA do cenário do Coronavírus e imagine o que seria da saúde e do Hospital Santo Ângelo? Um caos total, com certeza.

Político discreto, que mais ouve do que fala, além das obras, UPA, asfaltamento, sistema de iluminação LED em boa parte da cidade, o prefeito teve que conviver, muitas vezes, silenciosamente, com uma avalanche de críticas, ataques infundados, mentiras e outras agressões, que tinham o claro e cristalino objetivo de desestabilizá-lo emocionalmente.

Herdeiro de uma robusta e sadia educação que deve ter recebido dos seus saudosos pais, Jacques se manteve sereno o tempo todo e focado em apenas trabalhar e atender as demandas da comunidade.

Vai ter mais um mandato de dificuldades, mas como não se verga diante dos problemas, certamente vai fazer jus ao final dos próximos quatro anos ao jargão de que é um verdadeiro furacão de votos!

 

Agradecimento da juíza eleitoral

Juíza Marta Moreira 

A juíza eleitoral Marta Martins Moreira publicou nesta semana uma nota de agradecimento para aqueles que colaboraram diretamente na realização das eleições do último domingo.

Ela fez questão de agradecer ao “trabalho incansável, dedicado e comprometido dos servidores da Justiça Eleitoral: Marivani Gehm Gonçalves Medeiros, Luciana Gastmann, Daniele Nenê Dias, Larrison André Garaffa e Luís Henrique de Lima”.

Frisou que “trabalhar com pessoas comprometidas e eficientes dá a segurança necessária que a tarefa desta importância exige”. Destacou também a interação com as demais instituições envolvidas: Ministério Público, Polícia Federal e Brigada Militar, que foi fundamental para a segurança e lisura do pleito.

Ainda agradeceu a imprensa, “que levou as informações úteis aos eleitores sobre os procedimentos do dia da eleição” e não esqueceu dos mesários e demais auxiliares da Junta Eleitoral, definindo-os como “ guerreiros, que exerceram o dever cívico com dedicação”.

Um médico como vice-prefeito

Dr. Volnei Teixeira

Um médico em um posto estratégico pode sempre fazer a diferença. Lembro que o Dr. Luis Carlos Cavalheiro era o secretário de Saúde de Santo Ângelo quando estourou a pandemia do Coronavírus. Ninguém sabia do que se tratava. E ninguém sabia o que fazer e para onde ir.

O Cavalheiro enfrentou bem a situação porque era médico.

Agora, um médico será o vice-prefeito de Santo Ângelo a partir de janeiro. Natural de Eugênio de Castro, o Dr. Volnei Teixeira, mais uma vez poderá ser o diferencial.

Com mais de 20 anos de medicina, é aquele chamado médico de família, que vai na casa dos vovós levar remédio e auferir a pressão.

É um profissional que tem moral nos bairros de Santo Ângelo, que era vereador no Entre-Ijuís e veio pra cá para ser candidato ao Legislativo e certamente seria um dos mais votados. Quis o destino que fosse convidado pelo MDB para ser o vice-prefeito de Jacques Barbosa.

Com certeza, alavancou a campanha e promete ser um médico melhor ainda como vice-prefeito.

A chapa perfeita! Um engenheiro (Jacques) e um médico comandando o município. Não tem como dar errado!

As escolhas erradas de Hesse

Passada a eleição, a hora é de fazer as devidas avaliações dos resultados e dos fatos que levaram até ele.

Sem dúvida, a eleição ungiu um vencedor incontestável, que é o prefeito Jacques Barbosa e destacou outros políticos que foram bem avaliados pela população. De outra parte, também tem seus grandes derrotados.

Bruno Hesse, sem dúvida, teve uma das derrotas mais duras. Não pelo fato de ter ficado em terceiro numa eleição que, acreditava-se, fosse o segundo colocado, embora nunca tivesse realmente chance de ser o ganhador. A grande derrota está nas escolhas feitas por Hesse. Abandonou sua história de três décadas do PDT. E saiu afirmando que não tinha sido valorizado. Ora, foi secretário municipal da Fazenda, em três administrações, provedor do Hospital Santo Ângelo, chegou a vice-prefeito e presidiu a Fenamilho em duas edições, coisa para poucas lideranças locais. Algumas até nunca foram lembradas para presidir o maior evento do Município, mesmo com trajetórias consolidadas e reconhecidas. Então, onde está a desvalorização?

E na campanha, sem um partido sólido e pessoas experientes a seu lado, ficou a mercê de antigos e tradicionais adversários políticos, optando pelo caminho dos ataques e da baixaria. E isso é repudiado pela população, o que ficou bem claro mais uma vez.

O partido de Hesse não conseguiu eleger nenhum vereador. Da sua coligação, apenas um vereador se elegeu, do PSL, e na sobra. Mais uma prova do fracasso do projeto eleitoral do vice-prefeito.

Derrotados

Além de Hesse e daqueles que formataram o seu projeto eleitoral, outras pessoas também sofreram derrotas vexatórias nesta eleição.

O mais expressivo desses fracassos é o daqueles que se empenharam numa aliança que não foi referendada pelo seu partido. Insistiram nisso, se desgastaram com companheiros e ao lado de quem sempre combateram acabaram sofrendo uma dura derrota.

Com todas as tropelias promovidas, perderam o comando do partido em que militaram a vida toda e deixaram de ser referências de uma vertente política local. Ou seja, só derrota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here