Das listas para “não fazer”

0
137

Ter uma vida mais próspera para então ter mais segurança, conforto, saúde, alegria, paz, e outros, é de forma evidente a busca da maioria das pessoas. É também, evidentemente, uma tarefa difícil para a maioria e veem-se muitos equívocos, por diferentes motivos, na busca por mais prosperidade.

Assim como é muito importante acompanhar algumas atitudes de quem já alcançou a prosperidade desejada, como qualquer planejamento, é importante saber o que não fazer. Nesta linha, o empreendedor Grant Cardone (norte-americano), que frequentemente dá dicas sobre “o que fazer para ficar milionário antes do 30 anos”, publicando artigos em vários veículos pelo mundo, em recente artigo publicado no site da revista Entrepreneur, apresentou uma lista do que não fazer. Compartilho, a seguir, aquilo que Cardone considera imperdoável e propõe outra posição para quem quer conquistar maior prosperidade financeira:

1) Procure liberdade em vez de conforto – O conforto é elemento mais perigoso para quase todo mundo, nas várias dimensões, principalmente nas finanças. O foco do empreendedor deve estar na liberdade, ou seja, em vez de pensar em ficar rico para se aposentar, o melhor é buscar prosperidade para poder fazer o que quiser e quando quiser.

2) Busque mais foco e especialização do que diversificação – Você vê que muita gente defende a diversificação dos negócios para prevenir eventuais quebras em áreas instáveis, ou complementação de atividades. Todavia, esta diversificação pode trazer maus resultados, pois quem diversifica não se especializa, ou seja, diversificando muito, corre-se o risco de não ser suficiente bom em nada. Quem quer ser mais próspero deve procurar ser reconhecido como excelente em algum foco de suas atividades.

3) Evite depender de apenas uma fonte de renda – Na sequência, deve-se ressaltar que o foco em uma única área de atuação não obriga um empreendedor a ter somente uma fonte de renda. É preciso destinar parte da renda para investir, visando a um fortalecimento da renda em médio e longo prazos.

4) Cuidado ao comparar-se a outros – Fazer um paralelo com pessoas que passam por muitas dificuldades pode levar ao conforto com a sua condição atual, assim como comparar-se aos bilionários mais bem ranqueados pela Forbes o levará a um sentimento de impotência. Para Cardone, neste caso, o que importa é pensar em si mesmo e avaliar primeiramente a evolução do seu desenvolvimento e resultados com o passar do tempo.

5) Avalie bem os modismos e as tendências – Faça muita avaliação antes de investir tempo e dinheiro em negócios “da moda”, pois, como o nome diz, surge rápido e dura pouco. Quem não busca aventuras precisa investir em estradas lentas, mas com destino certo, em vez de embarcar montanhas-russas.

6) Não confie em pessoas sem fundamentos – Cardone afirma que “o maior erro de sua vida” foi acreditar em um grupo de pessoas simpáticas, mas sem informações suficientes para abrir um negócio. Em negócios, as emoções devem ser deixadas de lado. O que vale dinheiro são os fundamentos que garantirão o sucesso e é nisso que devemos prestar mais atenção.

7) Não confie na poupança – O autor mostra que não é possível criar riqueza ao colocar nossos ganhos na poupança. É sabido que esta modalidade de investimento rende pouco e pesquisas indicam que muitas pessoas tendem a criar “emergências” para utilizar o dinheiro que ficou acumulado, ao se dar conta, depois de um tempo, que não está rendendo. É melhor escolher outras formas de investimento mais rentáveis e que você se sinta estimulado a manter e fazer crescer.

Finalizando, o autor garante que procura mover seu dinheiro para onde não pode resgatar facilmente, pois, além de evitar a queima das economias, ele não pode se acomodar e precisa se esforçar para faturar mais.

Como diz aquela hashtag: #ficaadica. Um abraço a todos e até a próxima!