Evite os monstros da falta de iniciativa

0
127

Aos amigos que possam ter considerado estranha a palavra “monstro”, explico: é tão difícil entender como algumas pessoas tem tamanha falta de iniciativa, que somente a presença de hipotéticos monstros ladrões de energia explicariam. Muito se fala sobre crescimento, desenvolvimento pessoal e da importância da iniciativa para que as coisas aconteçam. Todavia, a efetividade das ações não é proporcional ao quanto se fala, pois dispensa dizer que é bem mais fácil falar do que agir.

Aproveito para lembrar uma frase do empresário e missionário Thomas Lee Osborn “Só cresce aquele que tenta fazer algo além das capacidades que já domina.” A iniciativa é fundamental para o crescimento das pessoas, das famílias, das empresas, clubes, instituições, municípios, estados ou países. Seja qual for o feito, de pequeno, médio ou grande impacto ou relevância, depende de alguém ou de um grupo que tenha iniciativa. As coisas que ficam só na conversa são aquelas que alguém deveria ter feito, mas ninguém fez.

No livro “Iniciativa”, da Editora Quantum, a introdução conta a história de um especialista em mentes que chegou à cidade garantindo que poderia provocar acontecimentos e mobilizar as pessoas. A propaganda gerou curiosidade e atraiu milhares de curiosos para as palestras. Na apresentação o público se concentrou ao máximo quando o especialista acendeu uma vela e pediu que todos a mentalizassem para apagá-la. Algumas pessoas recitaram mantras, outras fecharam os olhos e tentaram mandar o máximo de energia para a tarefa, mas durante alguns minutos nada ocorreu. Um tempo depois, o palestrante chamou a atenção da plateia e disse: “Alguém pode subir ao palco e efetivamente apagar a vela?” A maioria das pessoas ficou desconcertada e sem ação. A intenção do especialista era mostrar logo no início da sua apresentação, que as soluções são simples, desde que alguém tome a iniciativa.

Na família, nas empresas, instituições, entidades, também é assim e muito pode ser feito, desde que alguém tome a iniciativa. Convido os amigos leitores a observarem como os colegas de trabalho reagem a um papel que caiu no chão ou ao telefone tocando na mesa de alguém que saiu para atender um visitante em outro ambiente. Muitos profissionais parecem ficar esperando que situações simples se resolvam por mágica, mas não levantam de suas cadeiras para realmente uma ação simples, que solucionará o problema.

Ao analisar a falta de iniciativa parece mesmo que há monstros impedindo as pessoas de agirem pró-ativamente. Alguns destes monstros são fáceis de identificar, como a preguiça, por exemplo, que impede as pessoas de saírem da zona de conforto e ao mesmo tempo as afasta de conquistas que mudariam muito daquilo que não gostam em suas vidas. A procrastinação, deixando para amanhã, para depois, aquilo que poderia ser rapidamente resolvido. A insegurança também é um monstro que atrapalha muita gente que até deseja coisas diferentes, mas não consegue mudar nada na vida pelo medo de perder o status ou algo que possui ou ainda, que lhe deixa confortável e tranquilo.

O medo de ser ridicularizado por alguém, e o medo de retaliações de outros, assim como a falta de objetivos e a resistência a mudanças são nitidamente outros dos verdadeiros monstros que fazem com que muita gente até fale bastante sobre o que quer e como entende que as coisas devem ser, mas consegue fazer pouco, pela falta de iniciativa.

Você está a fim de caçar os monstros da falta de iniciativa? Mesmo quem não está a fim, precisa evitá-los, pois a cada minuto que passa, perde-se muito pela ação destruidora da iniciativa das pessoas.

Desejando mais iniciativa a todos nós, um abraço e até a próxima!