Gestão, Negócios & Cia

0
123

Mercado para alimentação/gastronomia é bom e está crescendo

Temos acompanhado pesquisas e desenvolvido outras, sobre o mercado da alimentação/gastronomia, setor com potencial invejável no Brasil. As associações tanto de indústrias quanto de serviços de alimentação estimam que em 2012 o brasileiro gastará em média até 30% de sua renda com alimentação fora de casa. Esta informação tem movimentado o interesse de empreendedores de diferentes áreas, incluindo redes de franquia, que são as que mais investem nesse setor.

Cursos de chefs têm se desenvolvido rápido nas grandes cidades e pelo interior já surgem bons cursos de gourmets, que desejam qualificar seu hobby e o talento de cozinhar. Todavia, para ter um negócio na área, é preciso ser empreendedor e bom gestor. Neste segmento ainda há uma caminhada a ser feita. Muitas vezes observamos negócios com bons ambientes, boa comida entrar em dificuldades e até fechar as portas, por falta de uma boa gestão. Uma boa consultoria e um bom curso de Gestão de Negócios da Gastronomia/Alimentação, podem garantir que o sonho e o talento também se concretizem num bom negócio para os empreendedores se manterem na atividade.

No horário das refeições, 27 milhões de pessoas estão fora de casa. Estima-se que só o segmento de fast food (comida rápida) fature R$ 60 bilhões por ano e gere 1 milhão de empregos diretos e indiretos no Brasil. A velocidade da vida moderna, o tempo e os riscos no trânsito, os desejos de sabores inovadores e diversos, o aumento da renda das classes C e D, os grandes eventos que o Brasil vem atraindo, são fatores que aumentam as oportunidades para os negócios de alimentação. Existe uma demanda grande e crescente, mas é preciso entender do negócio e saber que é um mercado dinâmico onde não se pode permanecer parado, fazendo sempre a mesma coisa.

O que o líder precisa saber

Como sabem gosto e estudo liderança há anos e compartilho com os amigos leitores, algumas dicas de Ana Cristina Chaer Dib Netto do “Papo de Empreendedor”, sobre o que um líder deve saber…

Ser objetivo: Direcionar o progresso do negócio com metas claras e pré-estabelecidas. Desperdiça-se dinheiro, tempo, mão-de-obra e equipamentos por falta de objetivos a curto, médio e longo prazo de forma clara.

Somar competências: É importante ser um bom conhecedor da atividade, pois se a equipe, investidores, parceiros precisam ver no líder alguém capaz de liderar e preparado para a gestão deste negócio.

Montar um time forte: Todo empreendedor, por mais capacitado que seja, tem pontos fracos. É fundamental para o sucesso, montar um time com profissionais de diversas áreas e também reconhecer que não sabe tudo, contratando quem tem habilidades e competências que o gestor não possui. O líder deve estar aberto a novas ideias e ter uma equipe em quem possa confiar na capacidade.

Comunicar bem: A comunicação eficiente tanto com a equipe, quanto com parceiros e clientes, é a alma de qualquer empresa. Um chefe que não se comunica bem, terá mais dificuldades de coordenar atividades. A conversa face a face ainda é o melhor meio para evitar ruídos na comunicação.

Ter bom relacionamento: Líderes de sucesso são, em geral, acessíveis, amáveis, extrovertidos, confiantes e agregadores, além de saberem decidir e delegar tarefas. Essas características são fundamentais para motivar pessoas a darem o seu melhor e obter resultados melhores.

Inspirar a equipe: As equipes precisam de alguém para se espelhar e ser uma fonte de inspiração, que é mais um dos papéis do líder. Mesmo quando o trabalho vai bem, é fundamental manter as pessoas estimuladas, apoiando as iniciativas e a criatividade.